Expectativa e realidade de um feriado - Notícias

Versão mobile

 

COLUNA DA MAGA07/09/2018 | 08h00Atualizada em 07/09/2018 | 08h00

Expectativa e realidade de um feriado

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Expectativa e realidade de um feriado  Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Só eu estava contando os dias pra chegar logo esse feriado? Aquela vontade louca de proclamar a minha independência da rotina, dos horários e compromissos. Palmas pra 7 de setembro!! Vinte e quatro horas de pura alegria! Feriado é quando a gente tem a ilusão de que vai fazer o que bem entende. Que seremos donos absolutos do tempo. Que o ócio reinará, como fez Dom Pedro I. Que o dia será uma sequência de prazer e encantamento. Que até o gosto da comida vai ser mais saboroso.  


Leia mais colunas da Maga

Tudo num feriado é expectativa, esse é o problema. A gente espera demais do coitado. Mas a realidade (sempre ela) bota as manguinhas de fora. É feriado e… saco! A geladeira tá vazia e tem que ir no supermercado. A descarga do banheiro resolve estragar justo hoje. O vizinho decide ouvir um batidão no volume máximo. Os parentes chegam de surpresa pra almoçar. A estrada lota. O elevador tranca. O plano de viajar é substituído na última hora pelo circuito cama-sofá-cama-sofá.

Quer mais uma dose de realidade? Hoje tem muita gente trabalhando, como se fosse dia útil. Hospitais, redações de jornais, portarias, postos de gasolina, restaurantes, bancas, padarias. Mesmo sendo feriado, os boatos e as fake news vão continuar chegando no WhatsApp. E é bem provável que um telemarketing qualquer te acorde cedo demais, oferecendo um produto que você não precisa e não pediu. Independência do que mesmo? O que aconteceu com tanta expectativa?

Mas calma lá. Sou brasileira e não desisto nunca! Esse feriado é meu e ninguém tasca. Vou viajar, com ou sem filho. Vou pegar a estrada, com ou sem movimento. Vou caminhar na praia, com ou sem sol. Vou comer quando sentir fome. Gastarei um par de horas fazendo nada. Em algum momento do dia, vou apenas agradecer. Quero rir e soltar os ombros. Também tenta aproveitar esse feriado, tá? Do jeito que der. Nem que seja um cafezinho mais demorado. Um beijo roubado. Um passeio até a esquina. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros