Magali Moraes e o cabo solto da panela - Notícias

Versão mobile

 

Coluna da Maga19/09/2018 | 10h00Atualizada em 19/09/2018 | 10h00

Magali Moraes e o cabo solto da panela

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e o cabo solto da panela Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Olha que situação. Você se empolga com uma receita boa aqui no DG e decide preparar. Avisa a família e cria a maior expectativa. Compra os ingredientes. Eita! Esquece alguma coisa, sai de novo pra buscar. Organiza tudo em cima da bancada da cozinha. Acha que é a Vó Palmirinha. Daí pega a panela pelo cabo e... fica na mão. Ele, o cabo. E você, claro! Quem consegue se concentrar na receita com um cabo cambaleando na panela? É como cozinhar na corda bamba. E se ele decide se soltar por completo?

Não sei o que é pior: queimar toda a comida, salgar tudo ou a panela cair no chão, e adeus comida. Cabo solto poderia ser uma prova final no MasterChef. Imagina suar que nem pernil no forno pra encantar o Fogaça, a Paola e o Jacquin. Você acha que chegou lá. E acaba eliminado por causa de um parafuso frouxo no maldito cabo. Isso desestabiliza qualquer cozinheiro. Haja avental pra secar as lágrimas. Não escapa uma panela desse problema. Não fazem mais cabos como antigamente.

Leia outras colunas da Maga  

Nasa

Mas por que ninguém conserta o cabo? Precisa de uma chave de fenda espacial que só a Nasa tem? Deixa pra amanhã, pra depois. Talvez o cabo aperte sozinho. Você vai lembrar quando sentir a mão bamba. Semana que vem dá um jeito. Empurra o problema com a barriga. Preguiça é como chama. Coisa mais complicada do mundo arrumar um cabo, né? Enquanto isso, o parafuso solta mais e mais. Você nem dá mais bola, nem tá tão perigoso assim. Boa sorte! Aventuras te aguardam na cozinha. 

Dei uma pesquisada e descobri que tem marca de panelas vendendo cabo removível. Ou seja, em vez de resolverem definitivamente o problema, afrouxaram de vez. A frigideira vira forma, a panela também. Não senti firmeza. Preciso de segurança extra. São tantas variáveis incontroláveis. Meus dedos podem jogar tempero demais, se cortarem picando cebola, queimarem no fogo alto. Pelo menos o cabo da panela precisa se garantir. Que o pano de chão esteja sempre por perto.   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros