Manoel Soares: "Facada que nos leva a pensar" - Notícias

Versão mobile

 

Papo Reto 08/09/2018 | 07h00Atualizada em 08/09/2018 | 07h00

Manoel Soares: "Facada que nos leva a pensar"

Colunista comenta o atentado ao candidato Jair Bolsonaro

Manoel Soares: "Facada que nos leva a pensar" Raysa LEITE/AFP
Presidenciável foi atingido na quinta-feira (6), em ato em Juiz de Fora - MG Foto: Raysa LEITE / AFP

A facada que o candidato Jair Bolsonaro levou precisa nos colocar para pensar sobre o que despertamos nas pessoas. Óbvio que foi um ato criminoso que em hipótese nenhuma pode ser justificado, mas que deve ser compreendido não em sua causa, mas em suas razões de existir. Compreendo muitos dos anseios que a fala mais agressiva de Bolsonaro atende. Ele, de maneira simples, sintetiza a indignação existente nos corações, mas a agressividade que ele também coloca na forma de falar abre portas perigosas. O homem que invadiu o comício viu em suas palavras uma provocação à altura. 

Leia mais
Manoel Soares fala do funk na orla do Guaíba
Manoel Soares apresenta Ezequiel, seu quinto filho
Manoel Soares dá seis dicas para alcançar o sucesso

Não quero aqui responsabilizar a vítima pela atitude do criminoso, mas, como dizia minha mãe: violência chama violência. Na maioria das vezes, a violência das redes sociais não migra para a vida real. Confiando nisso, muitos de nós falamos barbaridades nas redes. Porém, temos que entender que, de acordo com a Sociedade Brasileira de Psiquiatria, pelo menos 10% da população tem algum tipo de doença mental. 

Bolsonaro nunca mediu suas palavras nas redes. Por mais que existisse razão em algumas observações, não houve cuidado. Essa facada nos ensina que precisamos saber o que nossas palavras atraem. Podemos não ser culpados pela forma como nossas palavras digitais afetam a vida dos outros, mas precisamos ser responsáveis.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros