Magali Moraes e a aliança apertada - Notícias

Versão mobile

 

Coluna da Maga02/10/2018 | 11h37Atualizada em 02/10/2018 | 12h16

Magali Moraes e a aliança apertada

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e a aliança apertada Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Meu casamento vai muito bem, obrigada. Já a aliança, não. Tá apertada. Em crise com o meu anelar esquerdo. Como eu nunca ouvi falar que ouro encolhe, deve ser o dedo que mudou de espessura. Durante o dia, os dois convivem numa boa. De noite, a relação fica tensa. A aliança dá uma sufocada, incomoda, fecha o cerco. Aí o dedo se sente pressionado, sem espaço pra ser ele mesmo e reclama. Dizem que um casal nunca deve ir brigado pra cama (concordo). Descobri que o mesmo vale pra alianças e dedos. 

Antes de dormir eu tomo uma atitude: separo os dois. Calma que ninguém vai pro sofá. A aliança dorme na mesinha de cabeceira. E o dedo permanece no seu devido lugar. Às vezes, esqueço de tirá-la. Na manhã seguinte, os dois não se suportam mais. Também acontece o contrário. Esqueço de colocar a aliança de volta e saio de casa meio solteira. Não sei o que os dois acham, mas eu me sinto estranha. Trocar de aliança seria mais esquisito ainda. São quase 29 anos de convívio, né?

Leia outras colunas da Maga  

Tempo

Como não mudar ao longo de tanto tempo? Eu mudei, o dedo mudou junto. Aumentei a experiência, somei conquistas, expandi amor, cresci como ser humano, acrescentei duas pessoas maravilhosas ao mundo, alarguei laços, ampliei conhecimento, adicionei vivências. Os quilos a mais são só um detalhe. A aliança também não é mais a mesma. Já prendeu na maçaneta da porta, quase estrangulou o dedo e ficou oval. Perdeu a forma perfeitinha e nem por isso eu a abandonei.

Não dá pra querer tudo nessa vida, né? Hoje em dia, muitos casamentos acabam antes dos noivos pagarem todas as parcelas da festa. O que é uma aliança apertada perto de um relacionamento redondinho? De um amor que me aceita do jeito que sou? Na alegria e na tristeza. No mousse de chocolate e no sopão. Já vi gente usando aliança como pingente em corrente, agora entendi o porquê. Não é moda, é realidade. Mas voltando ao meu anelar esquerdo e à aliança. Eles ainda vão reatar.    


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros