Magali Moraes: Outubro Rosa sim, de novo - Notícias

Versão mobile

 

Coluna da Maga09/10/2018 | 13h15Atualizada em 09/10/2018 | 13h15

Magali Moraes: Outubro Rosa sim, de novo

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes: Outubro Rosa sim, de novo Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Escolher assunto pra três colunas semanais é complicado, não vou negar. Geralmente sento à noite na frente do computador, e aí decido um tema. O prazo me faz ter ideias. Às vezes, a coluna vai se formando na minha cabeça ao longo do dia, e anoto frases soltas pra não esquecer. Tem dias em que dá um branco, dá desespero, mas dou um jeito. Por mais que eu olhe pro cotidiano sempre em busca de novidade, no Outubro Rosa faço questão de me repetir. Taí um assunto que precisa de atenção.

Se eu escrever sobre potes plásticos, fazedores de palavras cruzadas, cobertor curto, horóscopo, restinho de água na jarra, primavera ou borda de pizza, a vida seguirá o seu fluxo. Leitores vão rir, relaxar, se emocionar, ler a coluna pra alguém, guardar o recorte do jornal ou até mesmo reclamar. Como a dona Vera fez porque eu critiquei quem não gosta do horário de verão. Desculpa aí, queridona. Lembrei de ti quando fiquei sabendo que ele vai começar mais tarde ainda (lamentei, claro).

Leia outras colunas da Maga  

Autoexame

Agora se eu usar esse espaço pra falar (sim, de novo) sobre o Outubro Rosa, posso fazer mais. Posso incentivar o autoexame. Ajudar mães e filhas a comentarem sobre o assunto. Inspirar os leitores homens a perguntarem pra esposas, namoradas, irmãs e amigas se elas estão se cuidando. O DG entra em milhares de casas todos os dias. E se essa contracapa alertar muitas famílias? A prevenção do câncer de mama acontece no dia a dia, no banho, na frente do espelho.  

Tem uma palavra que não pode faltar aqui: mamografia. É chatinha de fazer, eu sei. Aperta, esmaga, dá um certo desconforto. Mas é fundamental pra saúde da mulher. A melhor notícia que podemos ouvir é que o nódulo é benigno. A segunda melhor notícia é que tem tratamento porque ele foi descoberto cedo. Pra todas as vitoriosas que já passaram ou estão passando por isso, o meu carinho. Somos guerreiras, não desistimos nunca. Vamos incorporar na rotina o autoexame, gurias!    


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros