Sonho de debutantes é realizado na Lomba do Pinheiro - Notícias

Versão mobile

 

Solidariedade11/11/2018 | 21h35Atualizada em 11/11/2018 | 21h40

Sonho de debutantes é realizado na Lomba do Pinheiro

Dezenas de voluntários se mobilizaram para proporcionar baile de debutantes a dez meninas da comunidade. Dos salgadinhos à decoração, tudo foi obtido por meio de doações

Sonho de debutantes é realizado na Lomba do Pinheiro Anselmo Cunha/Especial
Meninas tiveram tarde especial neste domingo na Lomba do Pinheiro Foto: Anselmo Cunha / Especial

Para dez meninas da Lomba do Pinheiro, na zona leste de Porto Alegre, o domingo 11 de novembro de 2018 entrou para aquelas datas inesquecíveis de uma vida inteira. Flávia, Débora, Amanda, Vanessa, Nicole, Amanda De Leon, Samantha, Ana Vitória, Marcely e Jaine tiveram uma tarde com direito a vestidos brilhantes, valsa e fotos diante de dezenas de convidados no CTG Pousada da Figueira. Foi uma segunda edição e tanto do projeto Cinderela Por um Anjo.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho 

A iniciativa foi do grupo Anjos da Lomba, uma reunião de voluntários que moram no bairro e que se dedicam a proporcionar momentos especiais para a comunidade. As dez moças que festejaram neste domingo com amigos e familiares estiveram prestes a ver a data passar sem deixar recordações.

– São meninas que não tiveram a condição de realizar uma festa própria. A seleção delas foi a partir de um cadastro de jovens que tinham esse sonho. Ano passado, foram seis adolescentes. Neste, conseguimos fazer a festa para dez. Está aumentando – comemora uma das organizadoras da festa, Sandra Mara Jaques de Oliveira.

Tudo o que fez a alegria das adolescentes e de seus convidados foi obtido graças à solidariedade. Os vestidos foram doados ou emprestados e o serviço de foto e vídeo foi voluntário, oferecido por parceiros do projeto. A decoração, que contava com banners com fotos das meninas e luminárias das mesas também personalizadas para cada adolescente, foi outro presente para o evento. 

As bebidas e os salgadinho também foram uma cortesia de pessoas que se sensibilizaram com a ideia, e o CTG garantiu a festa oferecendo espaço para realizá-la. Cada menina teve direito a convidar 15 pessoas.

Lágrimas no salão

Entre as dez debutantes, duas eram cadeirantes e uma deficiente auditiva. Cada uma entrou no salão com trilha sonora épica e conduzida por madrinhas. Uma delas arrancou, além dos aplausos, muitas lágrimas dos convidados. Marcely Dornel Fuque deixou a cadeira de rodas que a acompanha nos deslocamentos diários e caminhou auxiliada pela avó, Cledi Maria Castilhos Dornel, de 62 anos, fazendo o CTG aplaudir de pé. Marcely tem 20 anos, e diante das necessidades frente à saúde da jovem, o gasto com uma festa de 15 anos não esteve entre as prioridades.

– Os Anjos da Lomba sempre ajudaram muito a Marcely, levando brinquedos para ela, presentes. Não tive a oportunidade de fazer uma festa para ela de 15 anos, mas era um sonho nosso. Quando surgiu essa possibilidade, aceitamos na hora – conta Cledi.

Festa era desejo das famílias

O projeto de oferecer uma festa de debutantes chegou a estar no planejamento das famílias. Mas em alguns casos, a realidade tornou o desejo inviável financeiramente. No caso de Amanda Pereira Fontela, 15 anos, o recurso para a festa estava até sendo guardado. Mas um imprevisto familiar tornou necessário usar o dinheiro para outro fim. 

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL - 11/11/2018 - Festa coletiva de debutantes para moradoras da Lomba do Pinheiro. (FOTO: ANSELMO CUNHA/ESPECIAL)
Cledi (esquerda) se emocionou ao conduzir a neta, MarcelyFoto: Anselmo Cunha / Especial

– Um amigo falou de mim para o Anjos da Lomba, meu nome entrou na lista. Depois eles conversaram comigo, sempre quis uma festa. Pra mim, hoje, é um sonho que eu realizo junto com toda a família – diz a adolescente.

Vanessa Raquel Wolowski, 15 anos, passou do susto à euforia. O nome dela foi colocado na lista de possíveis debutantes antes mesmo dela saber. Ela conta que seu pai queria muito fazer uma celebração com tudo a que se tem direito, mas acabou não sendo possível pelo valor necessário. 

– No começo eu fiquei assustada, tinham colocado já meu nome na lista de aniversariantes. Mas quando fui lá conversar com os Anjos, eles perguntaram se eu tinha mesmo interesse. Aí eu respondi na hora que sim, aceitava.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros