Magali Moraes e as primeiras histórias de Natal enviadas pelos leitores - Notícias

Versão mobile

 

Coluna da Maga05/12/2018 | 10h00Atualizada em 05/12/2018 | 10h00

Magali Moraes e as primeiras histórias de Natal enviadas pelos leitores

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e as primeiras histórias de Natal enviadas pelos leitores Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

A coluna de hoje foi escrita a muitas mãos! Que medo de não receber histórias. Mas os leitores do DG são parceiros! Adivinha que assunto mais bombou? Comida! Foi só eu falar da torta de sorvete virada no chão que a Catia Taborda lembrou da vez em que praticamente arruinou a sobremesa da ceia. Deixou cair a salada de frutas. Não satisfeita, botou o pudim abaixo. Sorte que tinha sorvete, senão ela ia correr até o Polo Norte pra escapar da fúria do pessoal. 

Já a Flávia Milene pagou os pecados com um sagu. Parece que a receita foi seguida à risca. Quando chegou a hora de tirar o doce da geladeira e servir, quem disse que dava pra cortar? Discretamente, ela tentou salvar o sagu com mais vinho e micro-ondas. Claro que alguém viu o que estava acontecendo e virou piada. Aposto que foi o tio do "pavê ou pacomê". Desde o incidente, quando tem comemoração na família, todo mundo diz: "Flávia, não precisa fazer sagu." Tadinha!

Leia mais colunas da Maga

Sogra

E tem mais dramalhão com comida. A Vera Regina foi conhecer a sogra no Natal e fez um quindão pra puxar saco (quem nunca?). Ela não sabia de um detalhe importante. A sogra era diabética. Mas brasileiro não desiste nunca! No Ano Novo, a Vera resolveu levar uma colônia bem cara pra se desculpar. Acredita que a sogra era alérgica a perfume? Eu sumiria pelo buraco da chaminé. Não sei se a relação das duas vingou. O fato é que a sogra nunca mais ganhou presente.

O Avelino Brusius voltou no tempo de criança e lembrou das festas de Natal na casa dos pais. A família era tão festeira que começava a comemorar dia 22 e terminava dia 25. O grande momento era a chegada do Papai Noel. No meio da euforia, o Avelino correu do Bom Velhinho, tropeçou na prima e os dois quebraram o vidro da porta. Será que no Natal seguinte enrolaram o Avelino em plástico bolha, pra não se machucar e estragar a festa? Mandem mais histórias. Amigo secreto é outro clássico! Vou adorar contar aqui. Beijo da Maga Noel.      


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros