Magali Moraes e mais histórias de Natal: mães e filhos - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga18/12/2018 | 12h42Atualizada em 18/12/2018 | 12h43

Magali Moraes e mais histórias de Natal: mães e filhos

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e mais histórias de Natal: mães e filhos Miguel Neves/Divulgação
Foto: Miguel Neves / Divulgação

Quantas crianças sonham em ganhar bonecas e bonecos no Natal? Às vezes, Papai Noel decide surpreender os adultos e traz bonequinhas de verdade. Foi assim com a Rosane Mossmann, de Novo Hamburgo. Ela ganhou o seu presente mais inesquecível no Natal de 1993. Gravidíssima, sentiu as primeiras contrações depois da ceia. Mesmo com barrigão, se ajoelhou na frente do presépio junto à árvore e pediu uma ajudinha lá de cima. Às 6h15min do dia 25, sua boneca Amanda veio ao mundo! 

Quer mais um causo natalino de mãe e filhos? Aqui vai. Se a gente faz tudo por eles o ano inteiro, imagina em uma data especial. Na falta de voluntário pra vestir a fantasia, a Denise decidiu ser o Bom Velhinho. Lembra da Eliete e sua versão baixinha de Noel? A Denise é o contrário: tem quase dois metros de altura. Seria facilmente reconhecida pelo filho. Mas ela teve uma ideia genial pra disfarçar sua estatura e caber direitinho no imaginário infantil.

Leia mais colunas da Maga

Joelhos         

Quem aí não perdia os programas de humor do Jô Soares na década de 1980? Sabe o personagem Reizinho (Que que eu sou, que que eu sou? Sois rei! Sois rei!)? O Jô encolhia de tamanho e caminhava de joelhos, escondendo as pernas embaixo do manto do rei nanico. A Denise resolveu fazer igual e ficou dias planejando. Até treinamento físico ela fez pra aguentar ajoelhada. Na noite de Natal, o filho acreditou na encenação. Mas sentiu falta da mãe, chorou e ameaçou se trancar no quarto. 

Adivinha se a Noel se segurou? Chutou o balde e abriu os braços: "Vem com a mamãe!" Deu um nó na cabeça do guri, isso sim. Como pode mãe diminuir de tamanho? O menino se trancou aos berros. Exausta, em lágrimas e com a pressão lá em cima, Denise precisou de ajuda pra levantar e reaparecer como a grande mãe do Artur. Seus joelhos inchados duraram bem mais que a noite de Natal. Essa história quem mandou foi o José Cláudio Moura. Diz ele que vai emoldurar a coluna e dar de presente pra Denise.        


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros