Duplicação na zona norte de Porto Alegre é retomada depois de quase dois anos parada - Notícias

Vers?o mobile

 

Seu Problema é Nosso11/01/2019 | 10h00Atualizada em 11/01/2019 | 10h00

Duplicação na zona norte de Porto Alegre é retomada depois de quase dois anos parada

O projeto prevê novo asfalto em 2,6 quilômetros, a construção de calçadas, duas faixas de rolamento, uma ciclovia, iluminação e implantação de uma nova rede de drenagem

Duplicação na zona norte de Porto Alegre é retomada depois de quase dois anos parada Jefferson Bernardes/PMPA
Prefeito Marchezan (C) esteve em cerimônia, ontem Foto: Jefferson Bernardes / PMPA

Após dois anos de entraves, as obras da Avenida Ernesto Neugebauer, no bairro Humaitá, na zona norte da Capital, recomeçaram na manhã de ontem. Iniciada em 2016 e com promessa de finalização em 2017, a expansão da via foi retomada com a realocação de recursos não utilizados nas obras da Copa do Mundo de 2014. 

Leia mais
Família de Novo Hamburgo faz campanha em prol de tratamento do filho na Tailândia
Sucatas de veículos da prefeitura incomodam veranistas na praia de Magistério, em Balneário Pinhal
Escadaria no bairro São José, em Porto Alegre, ainda precisa de reparos

O Diário Gaúcho acompanha a situação desde maio de 2017, quando as obras pararam devido a uma dívida da prefeitura, no valor de R$ 5,3 milhões. O dinheiro era a contrapartida do município para um financiamento da Caixa Econômica Federal. Sem o pagamento, que era da obrigação da administração municipal, o banco público não liberaria os recursos. 

Em abril de 2018, o DG voltou a abordar as dificuldades de quem precisava passar pela avenida e de moradores do bairro, que marca uma das entradas da cidade. O trecho a ser duplicado pela prefeitura iria do limite com Canoas, próximo à BR-290, até a Rua Dona Teodora, alcançando 2.680 metros. À época, a administração municipal informou que, iniciadas as obras, com a realocação de recursos da Copa, em 12 meses o serviço estaria concluído. 

Realocação 

O problema de dinheiro foi resolvido em janeiro de 2018, quando a prefeitura conseguiu a aprovação do redirecionamento de verbas não investidas na implantação dos BRTs — sistema de ônibus maiores e mais rápidos, existente em cidades como Rio de Janeiro. O montante realocado é de R$ 115 milhões. 

A aquisição dos BRTs foi deixada de lado porque, segundo a prefeitura, o sistema todo exigiria um investimento total de R$ 1 bilhão. Sendo assim, o prefeito Nelson Marchezan apresentou à Câmara de Vereadores projeto para aprovar transferência dos valores, em setembro de 2018. Aprovada a realocação de recursos, um aditivo à obra também foi submetido à votação e aprovado em dezembro do mesmo ano. 

Previsão de término em 12 meses

O projeto, de responsabilidade da empresa Pedracon Mineração, prevê novo asfalto em 2,6 quilômetros, a construção de calçadas com 1,5 metro, duas faixas de rolamento com seis metros de largura, uma ciclovia, nova iluminação, além da implantação de uma nova rede de drenagem. 

Além de melhorar a circulação de veículos na avenida — uma das rotas de entrada da cidade — a expectativa é de que as obras deem fim aos alagamentos constantes do trecho. A conclusão das obras é prevista em até um ano. 

 Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso 

 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros