Buraqueira nas ruas atrapalha moradores do bairro Jardim Algarve, em Alvorada - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso04/03/2019 | 09h01Atualizada em 04/03/2019 | 09h06

Buraqueira nas ruas atrapalha moradores do bairro Jardim Algarve, em Alvorada

Transitar pelas ruas é um transtorno para moradores. A prefeitura prevê a colocação de brita e limpeza dos bueiros após Carnaval

Buraqueira nas ruas atrapalha moradores do bairro Jardim Algarve, em Alvorada Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Estado da pista compromete trânsito Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Sair com o carro, caminhar ou correr na rua são situações que colocam em risco ou geram prejuízo para moradores do bairro Jardim Algarve, em Alvorada. O motivo é o excesso de buracos. 

Leia mais
Excesso de lixo em terreno da prefeitura incomoda moradores do bairro Cristal, em Porto Alegre
Saúde: obra de centro de atendimento a crianças e adultos está parada em Viamão
Em Canoas, entrega de dieta enteral demora um mês   

Moradora da Rua Eduardo da Silva Peixoto há mais de 30 anos, a dona de casa Priscilla Sena Mendes, 37 anos, tem vários problemas ao sair no portão. Segundo ela, que sofreu uma queda em uma das crateras da rua, a situação precária do asfalto é notada há quase uma década. 

—  Vários moradores do bairro solicitaram providências à prefeitura, mas nada foi feito. A única via que recebeu melhorias foi a Rua Seis, onde passa o ônibus — lamenta. 

Priscilla cuida dos pais, que estão com idade avançada e problemas de saúde: 

— Meu pai tem que ir ao médico todas as semanas. Por causa dos buracos, motoristas de aplicativos não entram, pois é necessário fazer um desvio. Eles não querem ter o carros danificados. 

Protocolo 

O pai de Priscilla, Vandir Mendes, 65 anos, caminha com o auxílio de uma bengala e, às vezes, quando não há alternativa, se arrisca até a parada de ônibus, que fica a duas quadras. Mas, segundo a dona de casa, ela prefere ir junto. 

— Ele até sai de casa, mas tenho medo de que caia em um dos buracos, pois não enxerga bem. Uma vizinha da Rua Flaviano Moraes Monroe, paralela à minha, caiu e se machucou. É comum isto acontecer — relembra Priscilla. 

Além da rua onde mora, Priscilla destaca que a condição da Rua Santa Edwiges, perto dali, é ainda pior. O Diário Gaúcho registrou a queixa da moradora na seção Pede- se Providência da edição de 21 de janeiro deste ano. 

— No dia 7 de fevereiro do ano passado, fiz o registro do protocolo. Fui até a prefeitura e pedi para uma equipe passar por aqui. Me deram prazo de 10 dias e não vieram — explica a leitora, que registrou a solicitação sob o número 4619/2018. 

Conforme Priscilla, quando uma equipe de reportagem esteve no local, há cerca de um ano, a prefeitura colocou areia nos buracos com a intenção de melhorar as condições da via. Contudo, na primeira chuva, o material foi levado. 

— Alguns moradores colocaram grama, plantas e resíduos de construção dentro dos buracos. Atrapalha os motoristas, mas essa foi uma maneira o povo encontrou para amenizar a quantidade de crateras — conta Priscilla. 

Seu Problema é Nosso, spn, Rua Eduardo da Silva Peixoto, buracos, Alvorada, Jardim Algarve
Grama e cascalho nos buracos para amenizar o tamanho das craterasFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Prefeitura promete obra de recuperação 

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Obras e Viação (Smov) informou que, após o Carnaval, será feita a colocação de brita na rua e também a limpeza nos bueiros, atendendo às solicitações dos moradores do bairro. Segundo a pasta, há o conhecimento dos protocolos relacionados às condições das ruas, porém a demora para os reparos é justificada pela espera por recebimento dos materiais. 

Conforme o secretario Liberto Mentz, uma licitação está sendo projetada para a realização de uma obra de recuperação da pavimentação das ruas do bairro Jardim Algarve. Ele prevê que as obras se iniciem em 45 dias. 

— Quando sair a licitação, vamos dar prioridade para vias com maior fluxo, fazendo o recapeamento. Mas também vamos atender aos protocolos de forma mais emergencial com a brita base, para ficar, no mínimo, trafegável — explica Liberto. 

Produção: Caroline Tidra 

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros