Magali Moraes e a Porto Alegre de amanhã - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga26/03/2019 | 08h22Atualizada em 26/03/2019 | 08h22

Magali Moraes e a Porto Alegre de amanhã

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e a Porto Alegre de amanhã Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Resolvi antecipar os parabéns pra aniversariante. Amanhã, Porto Alegre completa 247 anos. Espero que a gente consiga comemorar um pouco, sem pensar só nos problemas da cidade. Eles estão por toda parte, é aí que a coisa complica. Ruas escuras e inseguras, pichação nas fachadas, lixo virado no chão, obras pela metade, casebres improvisados, calçadas perfeitas pra torcer o pé, asfalto mais remendado que joelho de guri. Até eu, que sempre tento ser uma pessoa otimista, desanimo.

Porto Alegre já foi mais bonita e interessante. Teve o tamanho ideal, nem tão interiorana, nem tão cosmopolita. Descuidou, decaiu, ficou pra trás. Tá num eterno inferno astral. Culpa da má administração, de má vontade, de todos nós. Uma cidade é feita de moradores. Será que a gente tem feito o melhor por ela? Nenhum milagre vai acontecer até amanhã, quando Porto Alegre vai acordar precisando de carinho. Quem sabe a gente se prepara um pouco pra esse níver? Igual a quando tem festa em casa?

Leia mais colunas da Maga

Balões

Essa coluna é um aquece pro grande dia de amanhã. Temos 24 horas pra mudar de humor, pra lembrar do amor por Porto Alegre. Bora abrir as janelas, varrer a calçada, colocar flores no vaso, botar um sorriso no rosto, encher balões se quiser. Há algo que nos segura aqui: o vínculo afetivo. É a cidade onde nascemos ou que escolhemos pra vir de mala e cuia. É a terra dos amigos e da família. Raízes nos prendem a esse chão. Porque morar é só habitar. Viver Porto Alegre é diferente. É cultivar histórias. É fazer dos seus parques e praças o nosso quintal. É frequentar suas ruas, cafés, museus, cinemas.

Fiquei até mais animada, e você? Uma pessoa completar 247 anos é algo impossível de imaginar. É tempo demais. Mas pra uma cidade, 247 anos é adolescência ainda. É ter muito tempo pela frente. Pra crescer, mudar e melhorar. Amanhã eu proponho uma trégua. A aniversariante precisa ganhar autoestima. Feliz níver, Portinho! Que a alegria volte.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros