Manoel Soares comenta a morte do músico Evaldo: "mortes absurdas de moradores da periferia" - Notícias

Vers?o mobile

 
 

PAPO RETO 13/04/2019 | 08h00Atualizada em 13/04/2019 | 08h00

Manoel Soares comenta a morte do músico Evaldo: "mortes absurdas de moradores da periferia"

Colunista escreve nas edições de final de semana do Diário Gaúcho

Manoel Soares comenta a morte do músico Evaldo: "mortes absurdas de moradores da periferia" Facebook/Reprodução
Carro em que Evaldo estava com a família foi atingido por mais de 80 tiros de fuzil Foto: Facebook / Reprodução

A morte do músico Evaldo dos Santos Rosa, cujo carro em que estava com a família foi atingido por mais de 80 tiros de fuzil, disparados por militares, no Rio de Janeiro, mexeu com o país. Fez com que muitas pessoas que nunca tinham olhado para as mortes absurdas que acontecem nas periferias se permitissem questionar quem mata, por que mata, quem morre e por que morre. Não me lembro de moradores de bairros nobres reclamando da polícia ter invadido a casa deles de maneira agressiva e arbitrária. Também não acho que a polícia seja a responsável, eles cumprem ordens. 

Se começarem a tratar as periferias como tratam os bairros nobres, vão dizer que as autoridades estão amolecendo. Infelizmente, muitos que estão lendo esse texto agora têm histórias de pessoas que foram vítimas dessas ordens sociais que a polícia cumpre. 

Leia mais colunas de Manoel Soares

No Rio Grande do Sul, podemos não ter pais de família mortos com 80 tiros, mas temos muitos mortos com um tiro e nada se fala. O caso do boxeador Tayrone (morto em 2011, em Osório) é um exemplo, ele foi covardemente assassinado e não vi nenhuma mobilização feita pelos cidadãos de bem que defendem a Justiça. Quando a polícia mata alguém negro ou da periferia, a sociedade aplaude, dizendo que fez bem em atirar. Essa presunção de culpa vem com a cor da pele e o endereço. Quem achar que estou errado pode me mandar por e-mail o nome de 10 jovens brancos e moradores de bairro nobre que foram mortos pela polícia. Se não tiver para mandar, tenho duas opções: ou os negros moradores de periferias são bandidos mesmo ou estamos exigindo que a polícia faça uma higiene social. Aguardo os e-mails.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros