Magali Moraes: obrigada, Rafa Brites - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga21/05/2019 | 16h11Atualizada em 21/05/2019 | 16h11

Magali Moraes: obrigada, Rafa Brites

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes: obrigada, Rafa Brites Fernando Gomes/Agencia RBS
Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Eita mulher que (agora) eu admiro. Você ouviu falar no depoimento que a Rafa Brites deu sexta passada? Loira, famosa, magra e linda, ela disse publicamente que se arrependeu de ter sido capa da revista Boa Forma dois anos atrás. Pediu desculpas pra mulherada! A questão é que essa capa foi feita logo após seu filho nascer. Ela, que engordou 25 quilos durante a gravidez, já estava magérrima de biquíni e com mais gominhos na barriga do que bergamota ponkan. O recado: acabou de parir, tem que divar.

Rafa Brites reconheceu que fez muitas mulheres se sentirem um lixo com aquela imagem impossível de se identificar. Não basta querer secar após a gravidez. Tem a genética, a história de vida de cada mulher. Quando uma famosa passa uma mensagem errada, a gente engole o choro e pensa: "Só eu criei pelanca depois da gravidez, só eu não consegui voltar ao corpo de antes." A atitude da Rafa é uma conquista nesses tempos de vida perfeitamente editada nas redes sociais.

Leia mais colunas da Maga

Tatá

Ela repensou, despertou, evoluiu. Fez um bem até pra outras famosas. Tatá Werneck, que espera um bebê, foi uma das primeiras a agradecer. Todos os dias, nossa autoestima é abalada até sem percebermos. Vai levar quanto tempo pra oficialmente acabar a ditadura da perfeição? Bora perceber as armadilhas e fugir delas. Rafa Brites entendeu que gerou comparação e frustração. "Não tenho por que esconder meu corpo, assim como não tenho por que me gabar dele". Obrigada!

A maternidade é cheia de idealizações. Mas nem tudo é cor-de-rosa. Tem depressão pós-parto. Final de relacionamento. Gravidez inesperada. Tem sofrimento pra amamentar. Comigo aconteceu isso. Até pouco tempo atrás, a minha maior frustração era não ter conseguido amamentar meus dois filhos. Hoje sei que tentei e bloqueei, que fui julgada e me julguei, que era imatura pra superar essa dificuldade. Passou! Chega. Se faltou leite, sempre sobrou amor e conexão. Vamos ser felizes do jeito que dá. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros