Sine da Capital oferece cursos para pessoas em situação de rua - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Emprego18/07/2019 | 11h48Atualizada em 18/07/2019 | 11h48

Sine da Capital oferece cursos para pessoas em situação de rua

Mais de 50 pessoas que vivem na rua ou em albergues de Porto Alegre já se matricularam nos cursos oferecidos pelo Sine. Objetivo é auxiliá-los a conseguir um emprego

Sine da Capital oferece cursos para pessoas em situação de rua Tadeu Vilani / Agência RBS/Agência RBS
Edson trabalha como Papai Noel, mas está em busca de emprego fixo Foto: Tadeu Vilani / Agência RBS / Agência RBS

Olhos azuis, pele clara, uma vasta barba branca, assim como os cabelos. Para completar, um sorriso amigável. Estas são as características de um personagem muito familiar, o Papai Noel. E estes também são os traços da aparência de Edson Vilson Alves de Magalhães, 64 anos. 

Leia mais
Concursos: confira mais de 480 vagas disponíveis no Rio Grande do Sul
Procurando trabalho? Confira chances na Região Metropolitana
Empregos: Santa Casa de Porto Alegre oferece 111 vagas na construção civil 

Em épocas festivas, o sustento do idoso — que é membro da Aldeia do Papai Noel de Gramado, na Serra — vem dos eventos que ele participa como o Bom Velhinho. Entretanto, as dificuldades financeiras, já que o dinheiro conquistado no Natal não dura o ano todo, levaram Edson a uma situação pela qual ele nunca esperava passar:

— Estou há um ano morando na rua. Tenho sorte de conseguir ficar em albergue, mas é uma vida muito complicada.

Agora, uma alternativa surgiu para tentar reverter a situação. Desde quarta-feira passada, dia 10, o Sine Municipal de Porto Alegre está oferecendo cursos gratuitos de ensino a distância para pessoas em situação de rua. Além de Edson, mais de 50 pessoas se cadastraram na iniciativa. 

— Fui motorista de ambulância por cinco anos, mas aceito qualquer oportunidade de emprego. E acho que os cursos vão ajudar muito nisso — projeta Edson.

As opções oferecidas aos candidatos são ministradas por profissionais da Universidade de Brasília (UnB). Por meio de computadores que ficam na sede do Sine (esquina das avenidas Sepúlveda e Mauá), os alunos acessam o conteúdo, contando com auxílio presencial de funcionários da agência de empregos. Entre as opções oferecidas, algumas se destacam, como os cursos de Segurança da Informação, Agente Comunitário de Saúde e Higiene na Indústria Alimentar.

— É um processo ainda em fase inicial. Estamos muito felizes com os resultados e o interesse. Em uma semana, ultrapassamos 50% da nossa meta de inscritos — explica Paulo Diego Pinheiro, oficial de gabinete do Sine que está coordenando a ação.

Sine fará evento com vagas para os moradores de rua

Segundo o diretor-geral da entidade, Nelson Beron, o Consciência Sine — nome dado ao projeto — tem por objetivo formar pelo menos 100 moradores de rua até o mês que vem. Concluída esta etapa de formação, o órgão vai organizar um evento com empresas interessadas em oferecer vagas de emprego para as pessoas em situação de vulnerabilidade social. Ao longo do curso, os participantes sem carteira de trabalho receberão o documento.

— As empresas terão a garantia de receber um profissional empenhado e com alto índice de confiabilidade. Isso porque vamos encaminhar para o evento aqueles que completarem seus cursos e obtiverem os certificados, que demonstram o interesse na área que cada um escolheu — diz o diretor do Sine.

O projeto é fruto de uma parceria do Sine com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte (Smdse). A Diretoria de Direitos Humanos da pasta encaminha as pessoas que estão em albergues, centros de referência ou que frequentam o almoço oferecido diariamente no Ginásio Tesourinha para os cursos. A iniciativa é um embrião do que deve ocorrer nos novos restaurantes populares da Capital, que devem abrir as portas ainda neste ano. 

Nos locais, além das refeições, as pessoas em situação de vulnerabilidade social passarão por cursos, oficinas e palestras que tem a intenção de reintroduzi-los na sociedade e, principalmente, no mercado de trabalho.

Expectativa por oportunidade trabalho

Marcus está realizado com a oportunidadeFoto: Tadeu Vilani / Agência RBS

Na manhã de ontem, alguns moradores de rua se alternavam nos computadores do espaço disponibilizado pelo Sine. As turmas não tem um horário fixo, então os alunos vão chegando e saindo a todo momento. Um incentivo para a permanência no curso é o envio da lista de presença para o restaurante provisório instalado no Ginásio Tesourinha.

— Alguns não vinham porque não queriam perder o almoço. Então, encaminhamos a lista de presença para lá. Assim, eles podem estudar aqui e não perder a refeição — diz Nelson Beron.

A rotina de estudos já faz parte do cotidiano de Marcus Vinicius Godinho da Silva, 34 anos. Ele não tem residência fixa há alguns anos. Um emprego formal já não lhe é oferecido desde 2017, mesmo com seus conhecimentos na área da logística. Agora, Marcus está empenhado em concluir o curso Gestão em Qualidade.

— Mas até agosto quero fazer uns três cursos. Espero que seja possível conquistar uma oportunidade — torce Marcus.

Para Oseias Cruz Machado, 41 anos, a vida nas ruas já completou 12 anos. Por meio do curso para agente comunitário de saúde, ele pretende reiniciar sua caminhada no mercado de trabalho.

— Nos estenderam essa mão, temos que agarrar com força, não deixar essa oportunidade passar. 

Como as empresas podem participar

— Empresas interessadas em participar do evento de empregabilidade que será realizado em agosto podem entrar em contato pelos telefones (51) 3289-4820 e (51) 3289-4795.

— O contato por e-mail pode ser feito pelo endereço sine@portoalegre.rs.gov.br.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros