Como será o Carnaval 2020 no Porto Seco, com parceria de produtora de Pelotas - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Folia05/08/2019 | 18h11Atualizada em 05/08/2019 | 18h25

Como será o Carnaval 2020 no Porto Seco, com parceria de produtora de Pelotas

Desfiles devem ocorrer no primeiro final de semana de março

Como será o Carnaval 2020 no Porto Seco, com parceria de produtora de Pelotas Diego Lopes/Especial
Desfile da Imperadores do Samba, que foi a campeã do Carnaval em 2019 Foto: Diego Lopes / Especial

Os amantes do Carnaval já podem aquecer os pés para o samba de 2020. Se depender de organização, os desfiles no Complexo Cultural do Porto Seco, na zona norte da Capital, já estão garantidos para o próximo ano. Uma produtora de Pelotas, na região sul do Estado, é a mais nova parceira na organização do evento. Conhecida por fazer parte dos carnavais de Uruguaiana, Cruz Alta e de sua cidade de origem, a Bah! Entretenimento será responsável pela infraestrutura e comercialização de ingressos do Carnaval 2020 de Porto Alegre.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

O Diário Gaúcho adianta que os desfiles devem ocorrer no primeiro final de semana de março, entre os dias 6 e 7. A ordem de entrada das escolas de samba ainda deve ser definida, mas a tendência é que se repita o que ocorreu no evento deste ano, com agremiações das séries Ouro e Prata desfilando de maneira intercalada. A infraestrutura do Porto Seco seguirá sendo modesta, com camarotes no nível da pista e arquibancadas móveis. 

Na edição deste ano, as arquibancadas não foram aprovadas pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e os próprios foliões levaram cadeiras de praia de casa. Para 2020, a organização garante que isso não deve se repetir. Conforme Érico Leotti, presidente da escola Imperadores do Samba e um dos responsáveis pela representação das agremiações na organização do evento, por um descuido, as arquibancadas do ano passada não eram de um modelo permitido pelo CBM.

— No próximo ano, já estaremos preparados para isso. Então, não há risco de ficarmos sem arquibancada — garante Érico.

Nova liga

Assim como em 2019, o Carnaval do ano que vem terá a União das Entidades Carnavalescas do Grupo de Acesso de Porto Alegre (Uecgapa) à frente da organização. A parceria com a Bah!, aliás, foi anunciada pela Uecgapa. Entretanto, as escolas de samba terão uma nova representação. Trata-se da União das Escolas de Samba de Porto Alegre (Uespa), fundada no dia 9 de junho. 

Leia também
Carnaval do Porto Seco teve prejuízo, mas organização aprovou novo formato
Imperadores do Samba vence o Carnaval de Porto Alegre
Em noite de superação, três escolas da Série Ouro desfilam no Porto Seco

A entidade surge para substituir o poder representativo que tinha a Liga Independente das Escolas de Samba de Porto Alegre (Liespa). Em 2018 e 2019, a Liespa deixou de participar da organização do Carnaval em razão da falta de apoio do poder público. Além disso, atritos políticos entre as escolas e a entidade culminaram em um pedido de desfiliação coletiva de seis das oito escolas que faziam parte da Liga _ ficando apenas a Acadêmicos de Gravataí, já que a Embaixadores do Ritmo encerrou suas atividades depois da morte de um dos fundadores em janeiro deste ano.

— Em 2020, a Uespa atuará ao lado da Uecgapa, mas focada em ser uma representante das escolas — explica Érico.

No Carnaval deste ano, 55 mil pessoas passaram pelo Porto Seco durante as duas noites de desfiles. A expectativa da organização é de que o número se mantenha em 2020, segundo o presidente da Imperadores:

— Queremos manter esse público ou aumentá-lo, não projetamos queda de frequentadores.

Todos os detalhes do Carnaval 2020 serão esclarecidos pelos organizadores em uma coletiva de imprensa nesta terça-feira (6), a partir das 10h30min, no Teatro Renascença.

Segurança jurídica para fechar as contas

Um dos questionamentos em relação à troca de representações das escolas se deve às dívidas que Liespa tem. O próprio balanço do Carnaval deste ano registrou prejuízo em razão de bloqueios judiciais de empresas para quem a antiga liga ficou devendo. Mesmo sem ter ligação com a organização do Carnaval, a Justiça entendeu que os valores do evento deveriam ser bloqueados.

Érico diz que as escolas ainda seguem lutando para reaver os valores por meio de recursos judiciais. Para ele, não há sentido nos bloqueios, pois a Liespa não faz mais parte do evento:

— Agora, temos uma nova organizadora, que é a Bah!. Então, fica mais evidente ainda que é um novo Carnaval, não tem ligação nenhuma com os anos anteriores. Assim, temos tranquilidade para trabalhar e fechar as contas.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros