Magali Moraes: a manhã depois da insônia - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga23/08/2019 | 10h00Atualizada em 23/08/2019 | 10h00

Magali Moraes: a manhã depois da insônia

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes: a manhã depois da insônia Fernando Gomes/Agencia RBS
Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Ninguém merece uma noite com insônia. Ainda mais uma noite que tinha tudo pra dar certo. Você só queria um sono reparador. Milagrosamente deitou mais cedo que o usual. Apagou a luz da cabeceira já bocejando. Acomodou o travesseiro e puxou as cobertas. Bora dormir o sono dos justos. Mas a insônia decidiu chegar. Cada minuto revirando na cama é uma eternidade. A cada espiada nas horas, mais o sono se nega a voltar. Quanto tempo falta pro alarme tocar? É a contagem regressiva dos infernos. 

Tomara que alguma coisa você consiga dormir, por mais que a sensação seja de não pregar o olho. Um cochilo que seja. Na manhã seguinte, é inevitável se perguntar qual foi a causa da insônia. Junte seus cacos e ache disposição pra raciocinar. Puro azar nunca é. Não existe um bingo noturno, onde o perdedor é contemplado com uma longa noite em claro. Deve ser aquela preocupação que foi pra cama com você. A bandida que tirou o seu sono tem nome e sobrenome. Sempre tem.

Leia mais colunas da Maga

Sol 

Insônia só poderia acontecer no verão. Aí dá pra abrir a janela e contar as estrelas, depois de ter contado 500 mil carneirinhos e rezado pra tudo que é santo implorando pra dormir. Se a temperatura ajuda, melhor levantar pra ler, molhar as plantas, tomar banho, ver o sol nascer, sei lá. Ter insônia no auge do inverno é muita covardia. Não dá coragem de botar o nariz pra fora da cama. No vira e revira, as cobertas precisam acompanhar o corpo, senão você congela. E aí, sim, não dorme.

A manhã depois da insônia é cruel. A rotina segue e ninguém liga se você tá virado no bagaço da laranja. Devia ter acendido a luz e lido a noite inteira! Mas acordar a pessoinha que dormia de boas do seu lado? Quer dizer, isso se for alguém com sono de pedra. Que inveja! Uns com tanto, outros com tão pouco. Já a noite seguinte à insônia é de esperança e expectativa. O dia se arrastou. Foi especialmente cansativo. A cama chama. Que a cabeça desligue feito o disjuntor geral. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros