Conheça a história da Estado Maior da Restinga, cujos fundadores precisaram explicar escolha do nome aos militares  - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Eu Sou do Samba17/10/2019 | 05h00Atualizada em 17/10/2019 | 05h00

Conheça a história da Estado Maior da Restinga, cujos fundadores precisaram explicar escolha do nome aos militares 

Escola foi criada em 1977, durante a ditadura militar 

Conheça a história da Estado Maior da Restinga, cujos fundadores precisaram explicar escolha do nome aos militares  Omar Freitas/Agencia RBS
A porta-bandeira Hélida Freitas com o mestre-sala Leandro Wolff da Silva e Helinho (C), um dos fundadores da escola Foto: Omar Freitas / Agencia RBS
Liliane Pereira
Liliane Pereira

A Tricolor da Zona Sul é escola da qual vou contar um pouco da história essa semana. Com 42 anos de existência e criada na época da ditadura militar (que durou de 1964 até 1985), os fundadores da Estado Maior da Restinga foram chamados pelos militares para explicar por que escolheram esse nome. Hélio Garcia — um dos fundadores da escola, presidente em dois mandatos — foi um dos integrantes do grupo que compareceu ao Comando Militar do Exército. A explicação foi aceita, mas só foi possível fazer o registro da ata de fundação da escola oito anos depois.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

— Em reunião com o Comandante do Exército na Rua da Praia, explicamos que o nome Estado Maior era em função de a comunidade ter vários times de futebol de salão e de campo, muitas casas de religião e escolas de ensino regular. E que nós entendemos que, unindo isso tudo, daria um "Estado Maior", nada tendo a ver com o Estado Maior das Forças Armadas. O Comandante entendeu e autorizou o nome. Mas não conseguíamos registrar a ata — conta Garcia, que lamenta que os outros fundadores não estejam mais vivos para contar essa história com ele.

Segundo Helinho, como é conhecido, outro problema surgiu com o tempo: o documento não é fiel aos nomes dos verdadeiros fundadores.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 15/10/2019: Hélio Garcia, conhecido como Helinho, é um dos fundadores da Estado Maior da Restinga.(Foto: Omar Freitas / Agência RBS)Indexador: NGS
Helinho lamenta que os outros fundadores não estejam mais vivos para contar a história da agremiação com eleFoto: Omar Freitas / Agencia RBS

— A escola foi idealizada por três pessoas: Setembrino Bond, Jorge Luz Manchinha e eu. Só conseguimos registrar a ata de fundação da escola em 1985, quando Evaristo Mutti, que foi presidente da escola entre os anos de 1981 e 1984, agiu politicamente para isso. Mas foi nesse momento que, na minha opinião, por interesses políticos e comerciais, os nomes dos verdadeiros fundadores foram alterados. Noventa por cento dos nomes que estão na ata não fizeram parte do início de tudo. O meu nome, inclusive, ficou de fora — relata.

Sem mágoas

Mesmo assim, não existem mágoas. Helinho faz questão de ressaltar a importância de Mutti para a escola:

— Mutti foi fundamental no crescimento do Estado Maior, foi o primeiro grande investidor. Somos muito gratos por toda a estrutura que nos deu nesses 42 anos.

Mutti faz parte da escola desde a década de 1970. Foi presidente em um mandato e, depois, presidente do conselho por 30 anos. Mas se afastou das funções administrativas em 2015 para se dedicar aos netos. Ele contou que, no momento em que a ata de fundação da escola foi registrada oficialmente, alguns fundadores já haviam morrido, e outros, não estavam presentes, por isso foi necessário que outras pessoas assinassem o documento.

Leia também
Liliane Pereira conta as origens da Imperadores do Samba, a "escola do povo"
Ouça o samba-enredo que homenageará Renato Portaluppi no Carnaval de Porto Alegre
Como será o Carnaval 2020 no Porto Seco, com parceria de produtora de Pelotas

— Hoje, meu envolvimento com a Restinga é de amor, de paixão e de gratidão pelo povo maravilhoso que sempre esteve junto comigo e que permanece — diz Mutti. 

Sentimento de fé na Avenida

Em 2020, a Restinga levará para a Avenida o tema-enredo "Não basta sonhar, tem que ter fé". Segundo Hélvio Dias, diretor de Carnaval da escola, a proposta do enredo é despertar o sentimento de fé que existe em cada um de nós.

Para o carnavalesco da escola, Sandro Rauly, que desenvolveu o enredo, as pessoas não percebem que estão demostrando um sentimento de fé por algo, tenha ligação ou não com a religiosidade:

Restinga desfilou no segundo dia de Carnaval no Porto Seco
Desfile da Tinga em 2019Foto: Diego Lopes / Especial

— Com fé não há pergunta, sem fé não há resposta. A fé se mostra desde quando a pessoa procura o horóscopo para ler no jornal até quando faz o sinal da cruz ao passar na frente de uma igreja. Vamos falar sobre isso. E no fim, queremos dizer que temos fé que vamos conquistar o título esse ano.

Conforme o presidente Aldo Luís Rabelo Carlos, a escola levará para a Avenida três alegorias e 17 alas, e estima a participação de cerca de 1,5 mil componentes. No grupo de trabalho, as mudanças foram a chegada do intérprete Renan Ludwig, da porta-bandeira Hélida Freitas e do carnavalesco Sandro Rauly.

A escola vai escolher o samba em um festival que ocorrerá nos dias 20 e 27 de outubro e 3 de novembro na quadra. As inscrições encerram na sexta-feira (18).

Festa para crianças

A Mocidade Independente da Lomba do Pinheiro está recolhendo doações de brinquedos, balas e pirulitos para a realizar uma festa beneficente para crianças no dia 27 de outubro. Há uma caixa para arrecadação na parte central do Mercado Público de Porto Alegre. Interessados podem fazer contato pelo ( 51) 99100-5618, com Veridiane.

Novo mestre-sala

Novidades na Império da Zona Norte: Luiz Marcelo Rodrigues, o Marcelinho, é o mestre-sala que irá bailar ao lado de Ana Marilda Bellos.

Tema para Guajuviras

Unidos do Guajuviras definiu o tema-enredo para o próximo Carnaval. "O Voo do Gavião Sobre a Corte Imperial" vai exaltar os enredos marcantes das escolas Imperatriz Dona Leopoldina, Império da Zona Norte e Imperadores do Samba.

AGENDA

Quinta-feira (17)

/// Ensaio-show na quadra da Restinga. Entrada gratuita até 21h. Após, R$ 5. Estrada João Antônio da Silveira, 2.355, Restinga.

/// Ensaio-show de Bambas da Orgia, na quadra, a partir das 21h. R$ 10. R. Voluntários da Pátria, 1.387, Floresta.

/// União da Vila do IAPI realiza ensaio técnico no Porto Seco, a partir das 19h, no barracão.

/// Samba no Minas In com grupo Samba Dolente, a partir das 20h. Rua Duque de Caxias, 1.659, Centro. R$ 5.

/// As bandas de swing Senzala DF, Sem Comentários e Swinga Brasil serão homenageadas na Câmara de Vereadores de Porto Alegre às 19h. Haverá um pocket show das homenageadas.

Sexta-feira (18)

/// Bambas da Orgia escolhe sua rainha. A partir das 21h30min, na quadra (Rua Voluntários da Pátria, 1.387). R$ 10. Mesas, R$ 20. Atrações: grupo-show da escola.

Sábado (19)

/// A Unidos do Guajuviras faz seu primeiro ensaio técnico. A partir das 17h, na quadra. Avenida 17 de Abril, 84, Guajuviras, Canoas.

/// Apresentação do tema-enredo da escola Bem-Vinda, de Alvorada, com Filhos de Maria como convidada. A partir das 21h, na Avenida Frederico Dihl, 5.801. Alvorada. Entrada franca.

/// Festa de arrancada para o Carnaval 2020 e divulgação do samba-enredo da Acadêmicos de Gravataí, a partir das 20h, na Amoval. Atrações: Grupo Show 2020 com anúncio de novos integrantes e banda de pagode Santo Forte. R$ 15. Mesas R$ 60. Rua Cônego Viana, 129, Morada do Vale I, Gravataí.

/// Festa das crianças e escolha da rainha da Imperadores do Samba. A festa das crianças começa às 15h. Atrações: show de talentos, apresentação da escola de samba mirim, do Areal do Futuro e do grupo show da escola. Haverá distribuição de lanches e presentes, além dos brinquedos disponíveis durante o evento. E a escolha da rainha será a partir das 18h com participação do Bloco do Isopor. Avenida Padre Cacique, 1.567. 

/// A swingueira do Projeto Evolução vai embalar a noite no antigo Barba Azul. Atrações: Os Medinas, Senzala DF com Kaubi Tavares, Roberto Costa e Tom Astral. Avenida Itaqui, 57. R$ 20.

/// Seminário de Capacitação de Jurados, promovido pela Associação de Jurados de Carnaval e Eventos Populares do Rio Grande do Sul (Ajuceprgs). A palestra sobre bateria será feita por Anderson Chagas, presidente da Ajuceprgs. Local: Casa de Cultura Mário Quintana, Sala Luiz Cosme. Entrada gratuita.

Domingo (20)

/// Mocidade Independente da Lomba do Pinheiro realiza almoço de apresentação do tema-enredo para o Carnaval 2020. Atrações: grupo-show da escola e roda de samba com Os Amigos da Mocidade. Espaço Cultural Terreiro de Jorge, Estrada João de Oliveira Remião, 5.683, parada 12A, Lomba do Pinheiro.

/// Ulysses e Trio, Roda de Samba do Dodô e Pagode do Dorinho na Banda Saldanha, a partir do meio-dia. Avenida Padre Cacique, 1.355. Entrada gratuita até as 15h, após, R$ 10. Reserva de Churrasqueiras: facebook.com/bandasaldanha.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros