Magali Moraes e aquele furinho de traça - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga09/10/2019 | 10h00Atualizada em 09/10/2019 | 10h00

Magali Moraes e aquele furinho de traça

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e aquele furinho de traça Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Que lugar da roupa é menos traiçoeiro pra ela furar? Nenhum, se as traças tivessem um pingo de consideração por nós. Se fossem insetos bonzinhos, escolheriam um canto onde mal se nota. Perto da costura lateral, pra ser mais fácil de consertar o estrago. Ou lá no final da camiseta, onde o olho humano não vê. Mas não. Traça adora morder no ombro. Perto da gola. No meio da manga. Logo abaixo do umbigo é outro lugar clássico. Se costurar piora, se deixar assim entra vento. Que seja nas costas.

Por que nenhuma traça fura a etiqueta das roupas? Podia furar bem na parte onde tá escrito o tamanho da calça (seria até um favor). Ei, fabricantes: nunca pedi nada pra vocês. Dá pra descobrir um tipo de tecido que funciona como sorvete para traças, e usar ele pra fazer as etiquetas internas? Como passar, lavar, secar e se livrar das malditas. Pode colocar de molho, só não pode furar roupa nova. E quando a gente nem acabou de pagar o look, vai usar e acha furo de traça?! 

Leia mais colunas da Maga 

Frestas

Enquanto estamos pulando de raiva, elas estão escondidas nas frestas, rindo da nossa cara. Se pra traça roupa é filé, estante de livros é banquete. Socorro! Protejam seus autores preferidos. Limpem tudo, mantenham o local arejado. Na casa fechada da praia, as traças acham que estão de férias. Se penduram nas paredes como se fossem redes à beira-mar. Umidade é um paraíso pra elas. Coitados dos lençóis que moram lá o ano todo. Podem virar queijo suíço, bem furadinhos.

Não tenho muita paciência pra experimentos naturais. Folhas de louro e esse tipo de coisa. Prefiro apelar pra boa, velha e fedorenta naftalina. Compro vários sacos, e vou atirando muitas bolinhas brancas nas prateleiras feito granadas em filme de guerra. Mas nenhuma traça aparece sacudindo bandeira branca. Elas devem estar roncando, com a pança cheia de algum tecido meu. Falando nisso, vou renovar a munição de spray anti-traça pra borrifar nos cabides. Me aguardem, suas tiranas!


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros