Manoel Soares defende o nobre funk  - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Papo Reto09/11/2019 | 05h00Atualizada em 09/11/2019 | 05h00

Manoel Soares defende o nobre funk 

Colunista escreve nas edições de final de semana do Diário Gaúcho

Manoel Soares defende o nobre funk  Lauro Alves/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

Tenho visto uma molecada sonhando em um dia se tornar artista de funk. Apesar de muitos não gostarem do estilo musical, não imaginam que existe nobreza nesses sonhos. 

Essa molecada cansou de ver a família mergulhada na miséria. Logo de cara, falam de carro e bebida numa pegada ostentação. Os que os criticam, em muitos casos, são hipócritas, porque também querem carro importado, bebidas e mulheres. Mas, quando quem deseja isso são jovens da quebrada, se torna feio e bagaceiro. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Hoje, eu conheci um menino que canta funk, e seu sonho é poder colocar dentes no pai. As críticas dirigidas a estes jovens vêm carregadas de muito preconceito. É óbvio que toda a fragilidade na educação e na formação humana fica evidente nas letras, mas a verdade é que a precariedade musical deles é consequência dos descasos vividos. Mas nem por isso deixam de produzir cultura e buscar seus sonhos. 

Aos olhos de alguns, a periferia só é bem vista se estiver limpando chão e servindo a elite. Não sou a favor de músicas que exaltam o crime ou estimulam a pedofilia, mas isso não pertence a um grupo específico. Todo um grupo de pessoas não pode ser penalizado pelo erro de alguns. Então, antes de criticarmos esses jovens, vamos ver se não estamos sendo injustos com quem já é vítima de uma sequência de injustiças.

Leia mais colunas de Manoel Soares

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros