Magali Moraes comemora: 30 anos juntos - Notícias

Versão mobile

 
 

Coluna da Maga09/12/2019 | 10h00Atualizada em 09/12/2019 | 10h00

Magali Moraes comemora: 30 anos juntos

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes comemora: 30 anos juntos Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Quanto tempo dura 30 anos? Em três décadas, o mundo muda por completo. Surgem novas modas, tecnologias e hábitos de comportamento. Doenças são erradicadas. Planetas são descobertos. Um bebê que nasceu há 30 anos hoje é um adulto que paga seus boletos e talvez já tenha colocado outra pessoa no mundo. Em 30 anos, a gente muda de aparência, de gosto, de endereço, de ideia, de profissão, de estilo de vida. Nesse tempo todo, só as novelas da Globo não mudam.

Tudo isso pra contar que hoje estou fazendo 30 anos de casada! Ser feliz ao lado de uma mesma pessoa durante esse tempão merece ser celebrado. Mesma pessoa é maneira de dizer. A gente mudou muito de lá pra cá. Só não muda a vontade de continuar junto. São 30 anos de amor e também de bravura e coragem. É querer entrar pro Guinness, o livro dos recordes. É acolher as mudanças um do outro e torcer pra que algumas coisas nunca mudem. É não se entregar para os problemas.

Leia mais colunas da Maga 

Tatuagem 

Há cinco anos, quando completamos bodas de prata, inventei uma maneira diferente de comemorar. Fizemos a mesma tatuagem pra ostentar na pele a nossa história: 25 anos de amor e cumplicidade, de amizade, tantas viagens, de criar dois filhos maravilhosos, de fazer os planos acontecerem. Não me arrependo de ter casado tão cedo. Se existe uma Mega-Sena acumulada pra relacionamentos, ganhamos o prêmio sozinhos. E aprendemos a dividir tudo: expectativas, cobertor, sobremesa nem tanto.

Ricardo, os pesquisadores deveriam nos estudar. Mas a gente não tem tempo pra isso. É mais divertido fingir que casamos ontem. Aliás, eu casaria de novo contigo. Só que na beira da praia. Com a barra do vestido suja de areia, pés descalços, pouquíssimos convidados e o barulho do mar de trilha sonora. Num final de tarde, que é a hora que a gente gosta de caminhar na praia e sonhar. Amor, que sorte eu ter te encontrado nessa vida! Obrigada por cada risada, cada beijo, cada brinde, cada futuro aniversário. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros