Cris Silva e os dois aninhos do Teteu: "que sejas um guri bom" - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Lá em Casa31/01/2020 | 08h00Atualizada em 31/01/2020 | 08h00

Cris Silva e os dois aninhos do Teteu: "que sejas um guri bom"

Colunista escreve sobre maternidade e família todas as sextas-feiras

Cris Silva e os dois aninhos do Teteu: "que sejas um guri bom" Foto: Arte DG/
Foto: Foto: Arte DG

Era 31 de janeiro de 2018 e meu coração estava acelerado. Tinha uma cesárea para enfrentar no dia seguinte e seria, também, para mim e para o meu marido, o incrível momento de conhecer nosso filho, Matheus.

Teteu nasceu no dia 1º de fevereiro, às 20h37min. Olho pretinho, chorou forte e logo veio para o meu colo para se aninhar e se acalmar. E que goela... a potência na voz continua até hoje.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Nesses dois anos de vida do meu filho, juro que mais aprendi do que ensinei. E a coisa mais certa que aprendi é que educar é muito difícil. Criar uma criança é uma coisa, mas educar é outra. Educar requer pulso firme, requer muito amor e um senso de observação muito aguçado.

Nesses quase 730 dias ao lado do Teteu, já passei poucas e boas, como toda mãe de primeira viagem. Me apavorei quando ele fez cocô verde, entrei em desespero quando ele só chorava e não dormia (mesmo eu embalando duas horas sem parar), chorei de sono, de cansaço, de culpa, de ver ele tomar aquela dúzia de vacinas... mas também chorei de alegria, de amor.

Sustos

Me assustei quando ele teve a primeira febre alta, a primeira diarreia, o primeiro “galo” na cabeça. Fiquei muito, mas muito feliz quando ele caminhou sozinho, quando ficou na escolinha sem chorar, quando disse “mama”. 

Foto para a coluna Lá em Casa, da Cris Silva, de 31 de janeiro de 2020<!-- NICAID(14402081) -->
Cris Silva e o pequeno TeteuFoto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Amanhã, quando ele começa mais um ciclo de vida, eu só quero desejar que seja mais um ano cheio de alegria, saúde e boas surpresas. Que ele continue com essa alegria de viver que me encanta e me motiva a ser a melhor mãe possível. Que ele siga se encantando com a simplicidade do mundo, com a lua, com as formigas, com os aviões e com a guitarra do papai, embora ame bateria, hehehe.

E pelos anos que virão, que eu consiga dar todo o amor que ele merece, impor os limites tão necessários para ele enfrentar a vida adulta mais facilmente e que eu consiga respeitar o tempo dele.

Filho, parabéns, tu és pura luz. Que aproveites as melhores coisas da vida e que sejas um guri bom.

Leia outras colunas da Cris Silva

Tua história na RBS TV

Queridos, estamos com a segunda temporada do Posso Entrar? à vista e, nesse momento, começamos a selecionar as histórias que vamos contar. Se tu conhece alguém que é inspiração, que serve de exemplo de superação ou que tem uma baita história de vida, manda pra mim. Escreve do teu jeito mesmo, o importante é nos contar. O e-mail é possoentrar@gruporbs.com.br.

Pérola

Júlia estava escrevendo um cartão de aniversário e perguntou:

— Tia, como se escreve “zanos”?

— “Zanos”? De qual palavra, amor?

— “Muitozanos” de vida!

(Júlia, seis anos)


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros