Magali Moraes: 30 dias e 60 banhos depois - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga24/01/2020 | 07h00Atualizada em 24/01/2020 | 07h00

Magali Moraes: 30 dias e 60 banhos depois

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes: 30 dias e 60 banhos depois Fernando Gomes/Agencia RBS
Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

 Tá bom, vou recalcular essa conta. Digamos que foram 49 banhos no decorrer do período. Às vezes quebro minhas próprias regras e não tomo o segundo banho do dia. Lembra do meu dedinho do pé? Hoje é dia de festa!! Quando você ler essa coluna, eu estarei revendo esse pedacinho do corpo. Estamos sem conviver há um mês. Afastados, apesar da proximidade. Eu olho pra baixo e só vejo atadura e esparadrapo. Se não fosse o seu dedinho-irmão, eu nem lembraria como ele se parece.

 Na última vez que o vi, meu dedinho do pé esquerdo estava caído pro lado. Quebrado e deslocado. Enxerguei uma constelação de estrelas em plena luz do dia, de tanta dor. Mas isso foi a saideira de 2019. É passado. De lá pra cá, não pude mexer o dedo. Em compensação, exercitei demais a paciência. Foram trinta dias lutando com sacolinhas pra tomar banho sem molhar o pé. Encontrar sacolas resistentes e sem nenhum furo não é tarefa fácil. As de supermercado não aguentaram o tirão. 

 Leia mais colunas da Maga 

Toalha

Levou um bom tempo até eu formar o combo perfeito: duas sacolas, uma toalha de rosto e uma piranha (ainda se chama de piranha o prendedor de cabelo?). A função da primeira sacola - com plástico mais grosso - era proteger a água que vinha de baixo. Você sabe, o chão do box do banheiro vira uma piscina na hora do banho. A piranha servia pra segurar as pontas enroscadas dessa sacola. Testei também com elástico de cabelo. Depois vinha a toalhinha amarrada na canela, tipo um cachecol.

 Devo muito a ela: foi o truque fundamental pra não alagar a atadura todo santo dia. É que a segunda sacola que eu colocava por cima disso tudo quase sempre deixava entrar água. Sério, haja paciência! Ainda nem falei das posições malucas que eu fazia pra manter a perna esquerda no ar enquanto ensaboava o cabelo. Arruma o pé e estraga o resto. E o medo de escorregar ao sair do box, pisando no chão com a sacola molhada? Agora é história pra contar. Tô louca pra enfiar o pé na água. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros