Magali Moraes e o fascínio do analógico - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga17/01/2020 | 07h00

Magali Moraes e o fascínio do analógico

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e o fascínio do analógico Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Estamos cada vez mais digitais. Fazemos tudo e mais um pouco no celular (telefonar chega a ser retrô). Até esquecemos de um passado nem tão distante assim. Sou do tempo da máquina de escrever, onde o Errorex era a única maneira de corrigir o erro sem começar tudo de novo. Talvez isso não faça o menor sentido pra quem nasceu pedindo o wi-fi da sala de parto. No meu trabalho de publicitária, testemunhei a chegada dos computadores. Tá me achando velha? Bebê, tenho muita história pra contar.

Quando eu era pequena, as pessoas mandavam telegrama - que é tipo um tweet sem Twitter. Se ligava pra telefonista, dizia “quero passar um telegrama pra fulana” e ditava o texto. Útil pra enterros, formaturas e casamentos. Hoje em dia, é só mandar emojis de choro e coração. Eu poderia contar que era muito aceitável colocar cadeado no telefone fixo pra impedir adolescentes de passarem horas conversando. Num século que não volta mais, nos impediam de discar para as amigas. 

Leia mais colunas da Maga 

Diversão

Crescemos sem WhatsApp, acredita? Época difícil. Imagina se a gente pudesse fazer Stories na cabine do provador da Renner pra mostrar os looks. Em vez disso, íamos igual pra Renner passar a tarde experimentando roupas que a nossa mesada não pagava. Só pela diversão, sabe assim? Pausa pra eu ir ali no cantinho chorar de saudade. Tudo isso pra contar que meu filho ganhou um presente inusitado: uma sacola com três câmeras fotográficas que pertenceram ao avô da namorada. 

Mudanças revivem o passado. Precisava ver o fascínio dele nos mostrando o lugar onde se colocava o filme!! Meus guris fazem parte de uma geração que nasceu com smartphone e não imagina a surpresa (ou decepção) que era buscar as fotos reveladas. A metade saía de olhos fechados ou com a testa cortada. Nossa Senhora da Selfie nem era nascida! O analógico é cada vez mais moda. Disco de vinil. Câmeras fotográficas. Será que o fax e o telegrama também voltam? Essa eu pago pra ver. 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros