Cris Silva: "Come, filho!" - Notícias

Versão mobile

 
 

Lá em Casa06/03/2020 | 08h00Atualizada em 06/03/2020 | 08h00

Cris Silva: "Come, filho!"

Colunista escreve sobre maternidade e família todas as sextas-feiras

Cris Silva: "Come, filho!" Foto: Arte DG/
Cris no DG Foto: Foto: Arte DG

Quem nunca falou isso na vida? Pois, lá em casa, entramos nessa. 

Matheus, meu filho de dois anos, começou a fase do "não quero comer". Logo ele que sempre foi um comilão e, por isso, recebeu o carinhoso apelido de "Draguinha". Mas, enfim, completou dois anos de idade e parece que o apetite sumiu. Lá fui eu atrás de explicações e... Bingo! É exatamente nessa fase que a vontade de comer desaparece. 

Mas claro que tem um motivo, e eu aproveito para compartilhar com vocês essa e outras dicas bem legais.

Segundo a nutricionista Cristiane Ferreira, especialista em nutrição materno infantil, a partir dos dois anos, as crianças têm necessidades calóricas menores do que quando bebês. Como diminui a velocidade de crescimento, cai também a necessidade calórica, por isso, também é menor o apetite das crianças. Essa fase pode ir até uns quatro ou cinco anos.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL,24/10/2019- Alimentação infantil. (Foto: photophonie / stock.adobe.com)Indexador:                                 Fonte: 32127481
Comer bem é essencialFoto: photophonie / stock.adobe.com

Mas o que mais pode ser?

Cristiane lembra, ainda, que é importante observar alguns detalhes:

  • -  Sempre dar um intervalo de pelo menos duas horas entre uma refeição e outra para a criança ter tempo de sentir fome.
  • - Criança que acorda muito tarde acaba tendo um grande problema nas refeições, principalmente no almoço.
  • - Cuidar para que a hora das refeições não seja de brigas nem chantagens.
  • - É importante dar um tempo para a criança comer. Elas comem lentamente.
  • - Não forçar a comer tudo: servir em pequenas porções e dividido por tipo de comida.
  • - Sempre que der, colocar a criança para comer à mesa.
  • - Manter uma rotina para comer.

Não desista tão facilmente

Eu amei essa dica da minha xará. A introdução alimentar precisa ser lenta, aos poucos. Então, é importante apresentar no mínimo 10 vezes o alimento para a criança. Todos os dias, o mesmo alimento, mas de formas diferentes, por dez dias seguidos. Por exemplo: se for uma cenoura, um dia vai ser ralada. No outro, cozida. No seguinte, com carne. Isso vai ajudá-la a sentir os diferentes sabores, texturas e aromas.

Sinal de alerta

Quando a criança passa muitos dias sem querer comer, quando fica recusando os alimentos o tempo inteiro, fecha a boca, não quer sabe de provar, não aceita ou escolhe somente alimentos de uma cor, é aconselhável dividir com o pediatra ou nutricionista.

Leia outras colunas da Cris Silva

Peróla

Na hora de fazer o tema de matemática, a mãe lê a questão:
– Carol tinha dois lápis e ganhou mais dois. Carol ficou como?
Ao que a filha responde:
– Contente!
Heloísa, cinco anos

Leva pra dançar

Todas as sextas-feiras de março vão ser de muita música e animação no BarraShoppingSul. Hoje, no Barra Music Kids, das 18h30min às 19h30min, quem diverte os pequenos é o Bob Bopsin. Nos dias 13, 20 e 27, será o Grupo Aquarela. A entrada é gratuita! Em caso de chuva, o evento será cancelado.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros