Cris Silva: "Quarentena lá em casa" - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Lá em Casa27/03/2020 | 16h14Atualizada em 27/03/2020 | 16h14

Cris Silva: "Quarentena lá em casa"

Colunista escreve sobre maternidade e família todas as sextas-feiras

Cris Silva: "Quarentena lá em casa" Foto: Arte DG/
Cris no DG Foto: Foto: Arte DG

Em épocas de quarentena, quem tem criatividade é rei/rainha! Ficar em casa com as crianças, 24 horas por dia, e ainda fazer todas as tarefas domésticas é uma bela prova de paciência e autocontrole. Mas é também uma das melhores oportunidades para momentos únicos de brincadeiras e descobertas.

Na real, a gente vive dizendo que não tem tempo para as nossas coisas, então, que façamos do limão uma deliciosa e inesquecível limonada. Aqui em casa, a rotina mudou um pouco. Meu marido é produtor musical e compositor e já trabalhava em casa, no seu estúdio. Mas eu, não. Estou apresentando meu programa na rádio 92, o Conecte, das 9h às 12h, da minha casa. Que bom que a tecnologia evoluiu e nos permite essas adequações. 

teteu na quarentena
Teteu envolvido nas brincadeirasFoto: Cris Silva / Agência RBS

O Matheus, meu filho de dois anos, está em casa direto porque a escolinha, cumprindo as normas, parou as atividades. Os meus enteados também estão sem aula, então, é a turma toda junta o dia todo. Os meninos “mais velhos”, o João e o Tuti, de 16 e 12 anos, respectivamente, se revezam entre séries, filmes e videogame. O Teteu tem suas preferências: massinha de modelar, bolinhas de sabão, futebol, motoca no pátio, procurar formiga na parede, brincar de carimbo etc. 

Leia outras colunas da Cris Silva

E eu resolvi incluir outras atividades na rotina dele, tornando-o meu maravilhoso ajudante. Ele coloca a roupa no cesto para estender, me alcança o prendedor, lava o pátio comigo, tira o pó das coisas – claro, tudo do seu jeitinho.

Esse momento de confinamento é, na verdade, uma ótima oportunidade para estreitar laços entre pais e filhos.

Aprendizado e criatividade

Essa semana, estava ouvindo a entrevista de uma pedagoga, e ela falava do quanto podemos aprender e criar nesse momento em que precisamos estar em casa. Ela sabiamente dizia que não vale a pena lutar com o mundo das telas, pois é uma característica atual. Mas tudo pode ser dosado para garantir equilíbrio. 

Brincadeiras antigas, fora da época da tecnologia, e exercícios de organização da rotina podem ser uma boa opção para fazer a meninada se movimentar nessas que são circunstâncias desafiadoras.

Aqui em casa, a gente estipulou uma rotina diária com os horários para sono, alimentação, banho e brincadeiras.

E, falando em brincar, compartilho com vocês o Instagram da Estefi. Ela é artista, faz maravilhas com meia dúzia de canetinhas e papelão. Que vocês se inspirem e consigam se divertir com as crianças. Segue lá: @blog.estefi.machado.

Encerro a coluna de hoje desejando para vocês serenidade para enfrentar esse momento. Que tudo passe logo e que no futuro a gente lembre só das coisas boas que tivemos: das brincadeiras e dos dias grudados em quem a gente ama.

Peróla

– Deus criou o mundo em seis dias. E no sétimo dia, Ele fez o quê?
– Ele morreu.
– Não, ele descansou.
– É a mesma coisa. Porque minha mãe falou que só vai descansar quando morrer.
Laura, seis anos


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros