Marchezan anuncia cartão-alimentação para mais de 250 mil pessoas de baixa renda - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Auxílio na pandemia27/04/2020 | 21h50Atualizada em 27/04/2020 | 21h50

Marchezan anuncia cartão-alimentação para mais de 250 mil pessoas de baixa renda

Prefeito não detalhou quando o benefício estará disponível

Marchezan anuncia cartão-alimentação para mais de 250 mil pessoas de baixa renda Jefferson Bernardes/Divulgação Prefeitura de Porto Alegre
Medida foi anunciada em uma transmissão ao vivo feita pelas redes sociais Foto: Jefferson Bernardes / Divulgação Prefeitura de Porto Alegre

O prefeito Nelson Marchezan anunciou nesta segunda-feira (27) o fornecimento de um cartão-alimentação para mais de 250 mil pessoas de baixa renda de Porto Alegre. O benefício poderá usado para a compra de alimentos durante a pandemia e se soma a cestas básicas que serão distribuídas pela prefeitura.

— As cestas básicas são importantes, mas são compradas por licitação, e, muitas vezes, vêm de grandes fornecedores. A ideia é fornecer um cartão para a população fazer suas compras no comércio local, dos bairros — comentou o prefeito.

Leia mais
Pandemia isola ainda mais a população das ilhas de Porto Alegre
Imperadores do Samba promove campanha solidária para auxiliar famílias
Lojistas do Pop Center usam internet para manter vendas

Conforme Marchezan, serão vedadas compras de cigarros e bebidas alcoólicas. A prefeitura quer tentar ainda viabilizar restaurantes particulares, através de parcerias privadas e com o Sistema S, onde o cartão-alimentação possa ser usado na compra das refeições.

— São pessoas em situação de rua, carrinheiros, ex-guardadores de carros, que somam mais de 250 mil porto-alegrenses que têm algum vínculo com a prefeitura e estão em situação de pobreza  — explicou.

Além disso, o prefeito informou que a capital gaúcha possui "milhares de invisíveis", que não estão vinculados a programas sociais. Marchezan, no entanto, ainda não detalhou a partir de quando o cartão estará disponível. Para receber, o beneficiário precisa ser vinculado ao Cadastro Único.

— Estamos construindo isso em conjunto com o pacto de inovação da Capital, com universidades e pensadores, para auxiliar a desenvolver a economia local. Tudo para que o auxílio em alimentos se transforme numa geração de emprego e renda nos bairros. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros