Magali Moraes e a barra no box - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga29/07/2020 | 09h00Atualizada em 29/07/2020 | 09h00

Magali Moraes e a barra no box

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e a barra no box Fernando Gomes/Agencia RBS
Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Tem coisas que a gente só aprende a gostar depois de certa idade. O uso vai te conquistando, sabe assim? Você não dava nada por elas, mas descobre o seu valor. Um box com barra pra gente se segurar enquanto toma banho é melhor que sabonete novo. É mais acolhedor que toalha sequinha. Jovens, guardem essa informação em algum canto do cérebro. Um dia, vocês vão lembrar de mim. Pra quem já não cozinha na primeira fervura, aí é uma questão de sobrevivência. 

Ah se todas as pessoas transmitissem tanta segurança quanto uma barra no box. Mas tem que ser a de ferro. Já tive uma de plástico que escorregava no azulejo molhado. Eu segurava mais ela do que o contrário. Era regulável. Não caia nessa (literalmente). Se for pra ter barra no box e assumir pro mundo sua fragilidade, que seja uma de ferro. Com quatro furos de cada lado, presa por buchas e parafusos fortes. As visitas vão sair falando? Aproveite agora que ninguém pode se visitar e instale a sua.

Leia outras colunas da Maga

Pernoites

Deixa eu contar como foi. Chega um momento na vida em que a gente prepara a casa para possíveis pernoites dos nossos pais. Um bom sofá-cama, travesseiros extras e _ claro _ um banho seguro antes de dormir. É como se fosse um singelo agradecimento a tantos momentos em que nos sentimos protegidos na infância. Coloquei barras nos banheiros da praia e aqui na cidade. Não é que esse amparo fez bem pra mim também? Ainda mais se você se distrai no banho, perdida em devaneios.

Fica um legado pra família. Toda mão é bem-vinda pra se apoiar numa barra do box. Principalmente as ensaboadas. Vai se segurar onde se as pernas fraquejarem? Entrou xampu nos olhos? Caiu o sabonete? Quer se esticar pra alcançar a toalha? Agarra na barra. Pronto! Enquanto o condicionador está agindo no cabelo, a barra tá ali tipo guarda-costas. É não dar sorte pro azar. Outra coisa útil é um tapetinho com ventosas poderosas de dar inveja às lagartixas. Agora é só regular a água e relaxar.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros