Magali Moraes e as figurinhas do WhatsApp - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Coluna da Maga27/07/2020 | 09h00Atualizada em 27/07/2020 | 09h00

Magali Moraes e as figurinhas do WhatsApp

Colunista escreve às segundas, quartas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e as figurinhas do WhatsApp Fernando Gomes/Agencia RBS
Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Os emojis ficaram pra trás. O que a gente mais quer é achar a figurinha certa pra mandar. Aquela que serve como uma luva. Que responde com bom humor a um comentário engraçado. A fofa que transmite o nosso carinho. A que demonstra raiva ou espanto. Tem figurinha que vale por uma frase inteira. As de conotação política são pequenos protestos. Muitas nos ajudam a rir de momentos difíceis, como as sobre o coronavírus. Algumas figurinhas tiram do fundo do baú personagens esquecidos.

Sabe por que a gente aguenta tantos grupos no WhatsApp? Pra roubar figurinhas. Num grupo, elas se multiplicam. Em vários, elas amontoam. E precisamos renovar a frota. Queremos estocar. Adoramos descobrir bobagens. Nunca é demais figurinha nova pra salvar. As boas viralizam rapidinho. Obrigada a quem gasta seu tempo fazendo essas alegrias minúsculas (às vezes impossíveis de ler). Um agradecimento especial aos amigos que mandam 20 de uma tacada só, e quase nos matam de rir.

Leia outras colunas da Maga

Constrangedor

A humanidade está preparada pra conversar somente através de figurinhas? Seria um bom experimento científico. E pode ser útil quando estamos sem voz. Mas nem tudo é diversão. Pode ser constrangedor. Num grupo de trabalho é melhor pensar duas vezes antes. Principalmente se tiver chefia ali. Imagina mandar a figurinha errada? Justo aquela!! Basta um toque. Não dá pra cancelar o envio. Apagar não garante nada: tem sempre um espertinho que conseguiu salvar. Tá feito o estrago.

Um colega confessou esse medo. E pediu desculpas antecipadas caso o seu dedo envie alguma safadeza. Qual foi a reação do grupo? "Ainda bem que alguém falou isso!!". Todo mundo riu porque ninguém tá livre de passar vergonha. Se acontecer, que os colegas sejam solidários e engatem uma batalha de figurinhas pra desviar a atenção. Figurinha indecente que diverte as amigas também pode dar treta no grupo da família. Bobeou, mandou. Que Nossa Senhora do Zap Zap nos proteja. Amém!


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros