Após restauração, MP entrega celulares apreendidos em penitenciária a alunos da rede pública no Litoral Norte - Notícias

Versão mobile

 
 

Auxílio no ensino06/08/2020 | 11h34Atualizada em 06/08/2020 | 11h34

Após restauração, MP entrega celulares apreendidos em penitenciária a alunos da rede pública no Litoral Norte

Primeiro lote com 40 aparelhos beneficiou estudantes de duas escolas, em Maquiné e em Osório; ferramenta vai auxiliar na realização de atividades remotas durante a pandemia

Após restauração, MP entrega celulares apreendidos em penitenciária a alunos da rede pública no Litoral Norte Lauro Alves/Agencia RBS
Entrega em Maquiné ocorreu na manhã desta quarta-feira Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

Alunos da rede pública de Maquiné e de Osório, no Litoral Norte, receberam nesta quarta-feira (5) um novo aliado que vai permitir acesso a aulas remotas em meio à pandemia de coronavírus. O Ministério Público do Estado (MP-RS) entregou o primeiro lote de celulares apreendidos na Penitenciária Modulada Estadual de Osório e reformados para estudantes de duas instituições de ensino. Ao todo, 40 aparelhos foram repassados para alunos da Escola Estadual de Educação Básica Lourenço Leon Von Langendonck, em Maquiné, e da Escola Estadual de Ensino Fundamental Prof. Milton Pacheco, em Osório — 20 unidades em cada local. 

O primeiro repasse ocorreu na manhã desta quarta-feira na escola de Maquiné. Diretora da instituição de ensino, Fabiane Dacol Machado afirma que os alunos estavam ansiosos para receber o item. Fabiane destaca que os aparelhos garantem e ampliam o acesso dos alunos às aulas, pois muitas famílias da região contam com apenas um celular em casa, que acaba sendo dividido, prejudicando a distribuição e efetividade das atividades. A diretora também salienta a importância desses aparelhos já contarem com internet: 

— Os alunos que receberam esses aparelhos hoje vão ter a vantagem de já estar com internet antecipada. Eles vão ter acesso à plataforma, poderão fazer os trabalhos em casa, fazer todas as tarefas. 

Nos próximos dias, profissionais da escola vão auxiliar os alunos na instalação e utilização dos aplicativos utilizados durante as atividades remotas, segundo a diretora.

Mãe de um dos alunos beneficiados em Maquiné, a faxineira  Jeneci dos Santos da Silva, 43 anos, comemora a entrega do aparelho ao filho Alisson Matheus da Silva Nascimento, 11 anos, que está no quinto ano do Ensino Fundamental. Jeneci afirma que o aparelho chegou em boa hora, pois ela e o filho estavam se desdobrando para tentar acompanhar as atividades remotas, apelando para impressões de material e ajuda de conhecidos para acessar conteúdos, o que nem sempre era possível. 

— Ele não estava fazendo os temas porque eu não conseguia botar no meu celular e, como eu trabalho, não podia deixar o aparelho em casa. Agora, como ele tem o celular, ele vai usar só para isso. Já falei pra ele que é só para estudar — explicou Jeneci. 

 O Ministério Público do Estado (MP-RS) entregou celulares apreendidos em penitenciária e refomados a alunos de escola em Maquiné. Escola Estadual de Educação Básica Lourenço Leon Von Langendonck.<!-- NICAID(14560841) -->
Alisson e Jeneci durante a entrega do aparelhoFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

Além de Alisson, moram na mesma casa com Jeneci outros quatro familiares, entre eles outro filho dela, de 15 anos, e um enteado, de 13 anos, que também estão estudando. Ambos aguardam um aparelho para dar continuidade aos estudos de forma remota. 

A entrega dos celulares na escola Prof. Milton Pacheco, em Osório, ocorreu no período da tarde. Em ambas instituições foram respeitadas as medidas de segurança diante da pandemia de coronavírus durante o repasse, segundo o MP-RS. 

Ampliação

No MP-RS, o projeto é liderado pelos promotores de Justiça Criminal, Fernando Andrade Alves, e regional de Educação de Osório, Cristiane Della Méa Corrales. Nessa primeira fase da ação, 120 celulares serão destinados a alunos em situação de vulnerabilidade social e que estudam em municípios da região. A expectativa é de que outros 80 aparelhos sejam entregues nos próximos dias. O promotor destaca que a intenção é ampliar o alcance da iniciativa: 

— Recebemos aceno de receber telefones de outros presídios da Região Metropolitana. Então, a ideia é, concluída essa primeira fase e identificados os gargalos, as maiores dificuldades, que a gente possa ampliar, conseguindo entregar o maior número de celulares. 

A restauração dos aparelhos começou em 24 de julho e foi organizada pelo projeto social Dejone Rambor, com sede em Tramandaí. Batizado de Alquimia II, o projeto da Promotoria de Justiça de Osório  conta com o apoio da Polícia Civil, do Poder Judiciário e da sociedade civil. 

Nesta primeira etapa, o investimento previsto para a restauração dos 120 celulares e a compra dos chips é de até R$ 5.625. Esse montante é garantido pela conta de penas alternativas da Vara de Execuções Criminais de Osório.

Os celulares são dos alunos, e os responsáveis deles assinam um termo de responsabilidade ao receber o material. A internet será fornecida por 30 dias. Após esse período, o MP espera que o serviço seja garantido pelo Estado com a aprovação de licitações em andamento. Alunos que não conseguiram acessar a plataforma virtual em razão da situação de vulnerabilidade são priorizados no repasse dos aparelhos. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros