Cris Silva: "Gravidez na pandemia" - Notícias

Versão mobile

 
 

Lá em Casa14/08/2020 | 12h08Atualizada em 14/08/2020 | 12h08

Cris Silva: "Gravidez na pandemia"

Colunista escreve sobre maternidade e família todas as sextas-feiras

Cris Silva: "Gravidez na pandemia" Agência RBS/Agência RBS
Cris Silva Foto: Agência RBS / Agência RBS

A gravidez é um momento mega especial, cheio de emoção. Mas ninguém poderia imaginar tantas novidades como esta pandemia tem provocado. Para as gestantes que enfrentam o surto de covid-19, o medo, a ansiedade e a incerteza podem, sim, afetar esse momento feliz. Resolvi trazer esse assunto aqui para coluna depois que recebi a mensagem da Carla Linhares, grávida de 22 semanas.

Leia outras colunas da Cris Silva

A Carla me escreveu perguntando se eu achava que ela deveria ir à consulta ou esperar para fazer exames quando “tudo estivesse mais calmo”. Para a Carla e para todas as outras mulheres e famílias que estão nesse momento incrível, o conselho é o mesmo: não deixem de se cuidar e de cuidar do bebê, jamais! 

Trago aqui a recomendação do Unicef, o Fundo das Nações Unidas para Infância, divulgado para orientar as gestantes em meio à pandemia de covid-19. A Unicef ouviu Franka Cadée, presidente da Confederação Internacional de Parteiras. Cadée destaca a importância de se estabelecer um relacionamento de confiança com seu profissional: “Todas as perguntas que têm a ver com você e sua saúde, eu as faria livremente. É seu direito absoluto saber essas coisas porque se trata do seu corpo e de seu bebê”. 

Quando se trata do parto, é importante fazer quantas perguntas você precisar. Cadée sugere as seguintes: corro o risco de me infectar com coronavírus neste espaço? Alguém mais esteve aqui com covid-19? Como você separa as pessoas com covid-19 das pessoas sem? Posso levar alguém comigo? Posso manter o meu bebê comigo?

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL,30/03/2020 Gravidez, mulher, criança, nascimennto, gestação. Foto: Konstantin Yuganov / stock.adobe.comIndexador: Konstantin YuganovFonte: 250159128
Gestação em meio à pandemia traz muitas dúvidasFoto: Konstantin Yuganov / stock.adobe.com

O que evitar

Cadée aconselha ainda algumas medidas de distanciamento físico:
/// Evite o contato com qualquer pessoa que apresente sintomas da covid-19.
/// Evite o transporte público sempre que possível.
/// Trabalhe em casa, quando possível.
/// Evite grandes e pequenas aglomerações em espaços públicos, particularmente em espaços fechados ou confinados.
/// Evite reuniões presenciais com amigos e familiares.
/// Use serviços telefônicos, de mensagens de texto ou online para entrar em contato com parteira, obstetra e outros serviços essenciais.
Fonte: Unicef

Siga fazendo os exames recomendados

A médica obstetra Ana Carolina Pereira faz um alerta importante:
– O teleatendimento serve mais para mostrar exames, tirar uma dúvida. Mas, quando se trata do exame de pré-natal, o ideal é que a paciente seja examinada. É necessário medir e apalpar a barriga, a pressão, ver o peso, escutar o coraçãozinho do bebê. O Ministério da Saúde entende que a gestante continua precisando deste acompanhamento de perto, de uma forma habitual, mesmo num momento como esse.

Emergências ainda são emergências

Os médicos entendem que a paciente pode até estar com receio de procurar um hospital por ser foco de contágio do novo coronavírus. Mas são categóricos: se houver sangramento, perda de líquido, desconforto pélvico, dores que não passam com hidratação e repouso, ou quando a paciente nota que o bebê não se mexe na barriga, o ideal ainda é recorrer ao pronto-atendimento.

Coronavírus em grávidas

As medidas de segurança, nós já sabemos, não é mesmo? Mas e se a gestante se contaminar, como agir?

/// Entre em contato com seu obstetra de confiança (inicialmente por telefone) caso apresente sintomas como febre, tosse, dificuldade para respirar, congestão nasal ou conjuntival (olhos), dificuldade para deglutir, dor de garganta e dores musculares.

/// O curso da infecção do novo coronavírus não tem se mostrado mais grave em gestantes. A maioria dos casos evolui de forma leve (80% a 85%), devendo iniciar repouso, hidratação via oral, medicação para alívio dos sintomas e isolamento em domicílio, indica o documento da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Fonte: bebe.com.br

Trocas Junte & Ganhe

Gente, a partir da próxima segunda-feira, começam as trocas de Junte & Ganhe, Coleção Bela Família Sobremesa e Trio Faz Tudo. Mas, atenção: em Porto Alegre e na Região Metropolitana, as trocas precisam de agendamento prévio para evitar aglomerações. Para isso, basta mandar um torpedo (SMS) gratuito com as letras DG para o número 28595 e agendar sua troca. 

O agendamento vai até o dia 9 de setembro. No Interior e no Litoral, as trocas acontecem normalmente, sem necessidade de agendamento. Mais informações em diariogaucho.com.br/junteeganhe.

Pérola

– Filha, você não pode ser teimosa.
– Mãe, eu não sou teimosa. Você e o papai é que não fazem o que eu quero.
Manuela, quatro anos


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros