Cris Silva: "Ninguém nos ensina" - Notícias

Versão mobile

 
 

Lá em Casa11/09/2020 | 11h28Atualizada em 11/09/2020 | 11h28

Cris Silva: "Ninguém nos ensina"

Colunista escreve sobre maternidade e família todas as sextas-feiras

Cris Silva: "Ninguém nos ensina" Agência RBS/Agência RBS
Cris Silva Foto: Agência RBS / Agência RBS

Se tem uma coisa que ninguém nos ensina é como se tornar mãe ou pai. Não tem outro jeito senão exercer a maternidade e a paternidade. Muitas vezes, a coisa vai aos trancos e barrancos. É bem verdade que a gente tenta se preparar, lendo livros ou ouvindo os mais experientes, mas é só na prática que aprendemos. 

Quando eu estava grávida do Matheus, meu filho que hoje tem dois anos, decidi que não iria ler sobre os tipos de partos. Foi apenas uma entre tantas situações que preferi vivenciar do que criar uma expectativa. Depois, vieram muitos outros momentos, como a amamentação, as cólicas, os meus hormônios em queda livre e a vontade de chorar, a introdução alimentar, o cansaço meu e do marido e o climão que isso provoca entre a gente... Enfim, ser mãe (e pai) é um eterno “aprender”. 

Pensei em escrever essa coluna quando soube da criação de uma plataforma que promove conexões e apoio para as mamães e gestantes – o Benditas Mães. Que belíssima ideia!

Leia outras colunas da Cris Silva

Young mother feeling worried and thinking of something at home.Jovem mãe se sentindo preocupada e pensando em algo em casa.Fonte: 298169687
A criação dos filhos gera todo tipo de reflexão nos paisFoto: Drazen / stock.adobe.com

O Benditas Mães foi idealizado por duas mães empreendedoras, Mariana Bertiz e Taís Saraiva, e também conta com uma rede de profissionais especializadas no atendimento de mães. 

– Vivemos a maternidade real, aquela cheia de dúvidas e inseguranças. E foi a partir dessa experiência que sentimos a necessidade de ajudar outras mães e assim, idealizamos uma plataforma acolhedora – comenta Tais.

Pesquisas mostram que grande parte das mães se sentem sozinhas, ansiosas e inseguras: segundo o Ibope, 25% das mulheres têm depressão pós-parto, 20% dos casais se separam no primeiro ano de vida do bebê (UK-pesquisa) e 50% das mulheres deixam o emprego após a licença maternidade (FGV).

– Sabemos que, apesar de parecer contraditório, a maternidade pode ser muito solitária. O app Benditas Mães chega para aproximar as mães – diz Mariana, uma das fundadoras. 

Trocas

O aplicativo promove um grande encontro online entre mães e, aí, de uma forma muito verdadeira, surgem as conexões. Os encontros servem para trocar experiências e vivências sobre os temas mais variados.

Dentro do aplicativo Benditas Mães, tem um blog com assuntos relevantes sobre saúde e também histórias inspiradoras de mães reais. É possível baixar o app gratuitamente na Play Store e na Apple Store. Em @benditasmaesoficial, lá no Instagram, tem mais detalhes.

Dica de leitura

lá em casa , cris silva , coluna da cris , diário gaúcho
Site tem livros à vendaFoto: Reprodução / Internet

A dica de hoje é o livro Pé na Estrada, sobre inclusão social, do escritor, advogado e palestrante Ari Heck, vítima de paralisia infantil aos 14 meses de idade. Ari narra a aventura de um pai deficiente com seu filho não deficiente. É uma leitura indicada para toda a família. 

Esse é apenas um dos vários trabalhos do Ari, que nasceu na zona rural de Boa Vista do Buricá, lá no noroeste do Estado, e passou a escrever sobre sua vida e a luta como deficiente para mostrar que é possível vencer os obstáculos. Em outubro, na Feira do Livro de Porto Alegre, será lançado Arizinho e a Pandemia, com dicas de como se prevenir do coronavírus, consequências da não proteção e importância da vacinação. 

No site ariheck.com.br, você encontra mais informações sobre o trabalho do escritor.

Pérola

A Maria estava mastigando com a boca aberta. Então, eu disse:
– Amor, temos que mastigar com a boca fe...?
– ...liz! – completou ela.
Maria, dois anos


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros