Dois dias após retomada de aulas presenciais no RS, somente 7% das escolas estaduais receberam alunos - Notícias

Versão mobile

 
 

Retorno22/10/2020 | 21h45Atualizada em 22/10/2020 | 21h45

Dois dias após retomada de aulas presenciais no RS, somente 7% das escolas estaduais receberam alunos

Levantamento do governo gaúcho destaca que 80 instituições tiveram estudantes nesta quarta-feira (21)

Dois dias após retomada de aulas presenciais no RS, somente 7% das escolas estaduais receberam alunos Lauro Alves/Agencia RBS
Escolas precisam adaptar espaços para receber estudantes Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

O retorno das aulas presenciais em escolas mantidas pelo governo gaúcho seguiu tímido nesta quarta-feira (21), segundo dia após a liberação das atividades. Entre as 1.136 instituições estaduais de ensino Médio e Técnico, somente 80 receberam estudantes, 7% do total. Mesmo nesses locais, o movimento foi baixo, já que a presença dos alunos é opcional. Ainda assim, a presença foi maior do que  a registrada na terça-feira (20), data em que o retorno foi liberado oficialmente.

O balanço dos dois primeiros dias da retomada foi divulgado na manhã desta quinta-feira (22) pela Secretaria Estadual da Educação (Seduc). De acordo com a pasta, entre as 1.136 escolas consideradas no levantamento, 443 estão localizadas em municípios que possuem decreto proibindo o retorno presencial.

Quanto às instituições que estão liberadas, mas ainda não receberam alunos, a orientação do Estado é que seja mantido o regime de plantão, para o recebimento de equipamentos de proteção individual (EPIs) e materiais de limpeza. A reportagem solicitou à Seduc um levantamento de quantos locais já receberam os produtos encaminhados pelo governo gaúcho e ainda aguarda resposta.

Leia mais
Sem EPIs nem manutenção, maioria das escolas estaduais não recebe alunos
Sujeira e falta de equipamentos contribuem para que volta às aulas não tenha adesão

Para abrir as portas aos estudantes, os espaços também precisam ser adaptados, de acordo com os protocolos definidos pela Seduc e pela Secretaria Estadual da Saúde.

Regras

Além da adaptação do espaço físico, com distanciamento entre as mesas, aferição de temperatura, uso de EPIs e sanitização do ambiente, as escolas poderão receber presencialmente no máximo 50% dos estudantes por dia. Haverá revezamento com a divisão da turma, respeitando as bandeiras amarela e laranja do Modelo de Distanciamento Controlado do governo do Estado.

Justiça

Após ação movida pelo Cpers-Sindicato, um juiz de Porto Alegre, em decisão liminar, elencou condições para o retorno presencial às aulas na rede estadual. De acordo com o despacho, só poderão receber alunos as instituições onde houver declaração de conformidade sanitária assinada por um agente do Estado e em que estejam disponíveis todos os equipamentos de proteção individual (EPIs) exigidos nas legislações federal, estadual e municipal.

O magistrado ainda determinou que as aulas só deverão voltar em escolas que tenham elaborado um plano de contingência para o coronavírus. O documento ainda precisa ser aprovado por um centro de operações local ou regional.

A decisão não cita escolas particulares ou das redes municipais. Ao entrar com a ação, o Cpers-Sindicato havia pedido a suspensão das aulas presenciais em todas as escolas mantidas pelo governo gaúcho, o que não foi atendido.

A Procuradoria-Geral do Estado informou que deve recorrer da decisão até sexta-feira (23).

Calendário

Além das 1.136 escolas de ensino Médio e Técnico, o Estado é responsável por cerca de 1,3 mil instituições de nível Fundamental. Estas possuem calendário de retorno às aulas presenciais diferente:

  • Ensino Fundamental (anos finais), incluindo rede estadual — 28 de outubro
  • Ensino Fundamental (anos iniciais), incluindo rede estadual — 12 de novembro
 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros