Magali Moraes: uma vida juntos - Notícias

Versão mobile

 
 

Coluna da Maga11/12/2020 | 09h00Atualizada em 11/12/2020 | 09h00

Magali Moraes: uma vida juntos

Colunista escreve às segundas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes: uma vida juntos Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Trinta e um anos é uma vida, né? Passa tão rápido. Quarta-feira foi o nosso aniversário de casamento, e as comemorações seguem neste final de semana. Como não celebrar? Temos amor, paciência, cumplicidade, bom humor, saúde e filhos incríveis. Nós gostamos de fazer planos (e de realizar tudinho). Talvez seja esse o segredo: planejar juntos. Olhando de fora, parecemos o mesmo casal de sempre. Olhando atentamente, nós dois mudamos. Que bom! E só dá certo porque nenhum tenta mudar o outro.

Bora aprender com essas mudanças de comportamento, atualizar o amor, abrir a cabeça e o coração. Nesse tempo todo, eu descobri que é muito legal ter interesses em comum. Mas que também é fundamental cada um ter o seu espaço, amigos e atividades só suas. Senão vamos conversar sempre sobre as mesmas coisas. Aí o tédio bate. O cansaço vence. O tempo pesa. Sabe uma certeza que eu tenho? Num casal, um tem que puxar o outro pra cima. Um tem que querer ver o sucesso do outro. 

Leia outras colunas da Maga 

Metade

Antigamente eu achava bonito aquilo de encontrar a cara-metade. Depois entendi que é apenas uma frase de efeito. Quem disse que duas metades vão se complementar? Não é melhor serem duas pessoas por inteiro em uma relação? A gente cresce nas diferenças. É mais divertido conviver com alguém que não concorda com tudo, que sabe ouvir, que traz novos pontos de vista, que respeita a tua opinião. Relacionamento longo é ter altos e baixos. E é ter alguém que nunca desiste de você.

Desde março eu e o Ricardo estamos trabalhando no mesmo espaço físico dentro de casa. Nos vemos 24 horas, e até agora nenhum quis esmagar o pescocinho do outro. Pelo contrário, ainda achamos tempo pra maratonar muitas séries. Isso só pode ser amor sincero. O que eu mais quero? Voltar a viajar pelo mundo com esse cara que me faz tão feliz. Em alguma mega-sena acumulada do amor, tiramos um bilhete premiado. Mas é no dia a dia que a sorte nos sorri. Feliz 31 anos! Ó, mais essa coluna pra ti.


 
 
 
 
 
 

Mais sobre

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros