Construção de creche está parada há oito anos na zona norte de Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso18/01/2021 | 16h10Atualizada em 19/01/2021 | 15h34

Construção de creche está parada há oito anos na zona norte de Porto Alegre

Moradores do bairro Jardim Leopoldina buscam por respostas do porquê a construção da escolinha ainda não ter sido concluída e como ficará a situação da obra inacabada  

Construção de creche está parada há oito anos na zona norte de Porto Alegre Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Mato já tomou conta do terreno Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

 A promessa de inauguração de uma nova escola infantil no bairro Jardim Leopoldina, na Capital, esperada para o final de 2014, frustrou expectativas de famílias da região que aguardavam por uma vaga para suas crianças em uma creche pública. Oito anos após o início das obras, a creche ainda não ficou pronta. Agora, a comunidade busca por respostas do porquê a construção da escolinha ainda não ter sido concluída e como ficará a situação da obra inacabada. 

Leia Mais
Aposentada transforma retalhos em roupinhas de recém-nascidos para doar em hospital na Capital
Ação em prol de animais silvestres pede doações
Precariedade no asfalto segue causando incômodos a moradores do bairro Bom Jesus

Em 2013, após uma análise da prefeitura de Porto Alegre e um levantamento feito pela Secretaria Municipal de Educação (Smed) de áreas para realizar obras de escolas infantis, na Capital, o bairro Jardim Leopoldina foi a localidade escolhida para a construção da Escola Municipal de Educação Infantil Jardim Leopoldina II.  De acordo com o microempreendedor e presidente da associação de moradores do bairro, Paulo Henrique da Silva, 48 anos, a construção realmente começou em 2013, mas não foi finalizada no prazo estipulado: 

– A obra começou em 2013 e era pra terminar em 2014, deveria ser um trabalho de seis meses – declara. 

Atrasos 

Até 2014, a construção estava cerca de 85% concluída. Agora, sem andamento, se aproxima da estaca zero: 

– Com a creche parada, roubaram telhas, aberturas, canos e levaram até os contêineres. Logo depois, moradores de rua começaram a migrar para o espaço, tivemos diversos problemas. Foi preciso chamar a Guarda Municipal para não deixar a creche mais depredada do que já estava – lamenta Paulo. 

O morador conta que o atraso das obras foi pauta de muitas reuniões realizadas com a Smed para esclarecer com o órgão o que ocorreu. Entretanto, a secretaria informou aos moradores que a empresa responsável, contratada pela prefeitura, não dava prazos de finalização, segundo Paulo: 

– Não havia garantias de terminar a obra. A empresa acabou falindo, com processos judiciais em grande parte do município de Porto Alegre

O empreendedor lamenta pela situação em que a creche se encontra. Apesar do atraso, o que a comunidade deseja, neste momento, é que sejam contidos os furtos da estrutura e do terreno, onde estavam materiais de construção e equipamentos para as obras. 

– A prefeitura demorou muito para estancar a questão dos furtos, comuniquei diversas vezes e nada. A creche, agora, está à mercê dos ladrões – afirma Paulo. 

Sem previsão de retomada das obras 

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) de Porto Alegre informou, em nota, que a creche Jardim Leopoldina II estava licenciada pelo Programa de Aceleração do Crescimento Pró-infância, do governo federal, o qual, na época, realizava construções em todo país. Entretanto, a empresa responsável faliu, e em torno de mil obras não foram concluídas porque, conforme a Smed, “ a empresa desenvolveu uma metodologia de construção própria, um produto autoral”. 

No entanto, segundo a assessoria, “a prefeitura não poderia executar a obra, em um primeiro momento, porque a creche tinha parceria com o governo federal’’. De acordo com a secretaria, “a ideia, agora, é retomar a obra, mas não há um prazo definido nem empresa contratada. Como esse prédio ficou parado, está sendo analisada a melhor estratégia para prosseguir com essa construção”. 

Produção: Vitória Fagundes

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros