Saiba o que fazer em caso de suspeita de covid-19 - Notícias

Versão mobile

 
 

E agora?05/01/2021 | 12h17Atualizada em 05/01/2021 | 12h17

Saiba o que fazer em caso de suspeita de covid-19

Isolamento e testagem são as principais atitudes a serem tomadas

Saiba o que fazer em caso de suspeita de covid-19 Jonatan Sarmento/Agencia RBS
Foto: Jonatan Sarmento / Agencia RBS

Os médicos recomendaram o resguardo. Porém, se você optou por participar de festas de final de ano e agora teme que esteja infectado com o coronavírus, fique atento às dicas abaixo. Com elas, você aprenderá a como buscar ajuda e também a preservar a saúde das pessoas que fazem parte do seu convívio. Para montar esse passo a passo, conversamos com o Eduardo Sprinz, chefe do serviço de Infectologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), e Paulo Petry, doutor m Epidemiologia e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Sintomas 

A covid-19 é caracterizada, em um primeiro momento, como uma gripe comum. Ou seja, os sintomas são leve irritação na garganta ou incômodo mais forte, tosse, dor no corpo, coriza e febre. Outras manifestações da doença são a perda de olfato e de paladar, diz Sprinz:

— Esses dois últimos são um grande marco diferencial da covid-19, mas isso não quer dizer que todas as pessoas positivadas apresentarão essa característica.  

Se os seus sintomas não diminuírem dentro de um prazo de sete a 10 dias, o quadro pode evoluir para uma tosse mais forte, uma prostração aguda e o indivíduo passa a ter dificuldade para respirar.  

Posso transmitir o coronavírus mesmo sem ter sintomas?  

Para o professor da UFRGS, os pacientes assintomáticos são um dos grandes perigos dessa pandemia. Isso porque um leve desconforto na garganta ou coriza são considerados características normais de um resfriado e, raramente, são levados a sério: 

— Mas essa pessoa já pode estar infectada e contribuindo para o crescimento da cadeia de transmissão do coronavírus. 

O chefe do serviço de Infectologia do HCPA ressalta: 

— Não sabemos se os assintomáticos transmitem mais ou menos. O fato é que eles passam a doença para outras pessoas. Se você optou por fazer festa, ao menos, se confine, não visite parentes e amigos. Essa é uma atitude de respeito pela saúde do outro principalmente. Neste momento, sabemos que a doença está muito próxima de nós, as chances de um simples resfriado ser coronavírus é muito grande.  

Fique em casa 

Se você identificar os sintomas citados acima e ainda não estiver com o resultado do seu exame em mãos, fique em isolamento, entre sete e 10 dias, e procure avisar as pessoas com as quais manteve contato sobre a sua situação, aconselha Petry.  

— Fique em casa, mas monitore o quadro. Após dois dias apresentando os sintomas, é preciso procurar a unidade de saúde mais próxima para averiguar a situação e realizar o teste molecular. Temos orientado as pessoas a ficarem em casa enquanto o laudo do exame não é divulgado para evitar possível transmissão — pontua. 

Ele reforça que, mesmo que o primeiro resultado do exame dê negativo, é preciso permanecer em confinamento: 

— O exame pode dar falso negativo, por isso, é melhor ficar em casa para proteger as pessoas. Em casos brandos dos sintomas, dá para tomar analgésicos e antitérmicos para aliviar as dores e febres. Deve-se manter uma alimentação saudável e beber muita água.  

Quando fazer o teste?

O ideal é que o teste seja realizado entre 24 e 48 horas após o início dos sintomas. Dando negativo o resultado, o exame será refeito no quinto dia para confirmar se não era um falso negativo, ressalta Sprinz.  

O chefe do serviço de Infectologia do HCPA explica que, no caso de pacientes sintomáticos, o sistema público de saúde realiza exame RT-PCR, que é o mais indicado para o diagnóstico da covid-19. Nesta modalidade, um cotonete de haste longa é inserido nas narinas e na garganta par que seja colhida secreção do paciente, logo, material genético do coronavírus.  

— Na hora de procurar por esse teste, a pessoa deve falar ao médico sobre seu quadro e sintomas. É importante que o paciente se dirija à unidade de saúde mais próxima à casa dele, que evite ficar circulando pela cidade — destaca Sprinz.  

No caso de realização do teste por convênio particular, é preciso ter em mãos a requisição médica. 

Quando fico curado e paro de transmitir?   

De acordo com Petry, o período de incubação do vírus é de sete a 10 dias. Entre o oitavo e 12° dia, o vírus no auge da sua produtividade. Após esse pico, ele diminui sua capacidade de transmissão e, depois, não transmite a doença.  

Onde fazer o teste?  


Hospital São Lucas da PUCRS  

Os testes precisam ser agendados previamente por telefone.  

  • Valor: R$ 220  
  • Resultado: em até 48 horas (50% deles são entregues em seis horas se a coleta for feita pela manhã)  
  • Endereço: Avenida Ipiranga, 6.690  
  • Telefone: (51) 3320-5049

Hospital Mãe de Deus  

  • Valor: R$ 450 
  • Resultado: entre 12h e 24h 
  • Endereço: Rua Costa, 29  
  • Telefone: (51) 3230-6000 

Santa Casa 

Oferece coleta domiciliar e também no ambulatório do Pavilhão Pereira Filho, de segunda a sexta das 7h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados das 7h30min às 13h30min. 

  • Valor: R$ 300 
  • Resultado: em até 48 horas  
  • Endereço: a coleta domiciliar deve ser agendada pelos telefones (51) 3214-8678 ou 3214-8648. Outra opção é o atendimento no ambulatório do Pavilhão Pereira Filho 

Instituto do Cérebro  

Há duas modalidades de testes, cujas coletas podem ser feitas das 7h às 17h de segunda a sexta e das 7h às 11h aos sábados. Não é necessário agendamento prévio. Todos os exames saem em português, inglês e espanhol.  

PCR Fast  

  • Valor: R$ 450  
  • Resultado: em quatro horas  

PCR  

  • Valor: R$ 240  
  • Resultado: em 24 horas  
  • Endereço: Av. Ipiranga, 6.690/ Prédio 63  
  • Telefone: (51) 3320-5959 


Farmácias São João  

Realizam testes em diversas unidades.  

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros