"É constrangedor", diz homem que aguardou mais de oito horas para realizar teste de covid-19 em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 
 

Longa espera23/02/2021 | 09h14Atualizada em 23/02/2021 | 09h15

"É constrangedor", diz homem que aguardou mais de oito horas para realizar teste de covid-19 em Porto Alegre

Demanda em emergências e pronto-atendimentos foi acima das semanas anteriores

"É constrangedor", diz homem que aguardou mais de oito horas para realizar teste de covid-19 em Porto Alegre Eduardo Paganella / Agência RBS/Agência RBS
O carteiro João Ricardo Cardoso aguardava há oito horas para realizar o teste de covid-19 Foto: Eduardo Paganella / Agência RBS / Agência RBS

A tarde desta segunda-feira foi marcada por grande movimento e demora na realização de exames para pessoas com coronavírus em Porto Alegre. Além da situação das emergências, os pronto-atendimentos (PA) registraram demanda acima das semanas anteriores, o que provocou filas e longa espera para realizar os exames.

A reportagem da Rádio Gaúcha circulou pelos pronto-atendimentos da Capital durante a manhã e a tarde na capital. No PA Bom Jesus, o carteiro João Ricardo Cardoso aguardava há oito horas para realizar o teste de covid-19. A espera e os sintomas sugaram as energias do homem, que chegou por volta das 8h. A espera se encerrou pouco depois das 17h, mas o resultado não foi confirmado.

— É constrangedora essa situação. Teve gente aqui que desmaiou, foi atendido por ambulância. Teve gente que se queimou no sol. Eu não queria estar passando por isso — diz ele.

Em outro pronto-atendimento, o cenário era semelhante. No PA da Lomba do Pinheiro, na Avenida João de Oliveira Remião, cerca de 30 pessoas aguardavam fora do ambulatório para receber atendimento. A trabalhadora de casa Rosane Beltrão, de 61 anos, chegou às 9h30min no local e, às 17h15min, ainda não havia sido chamada para realizar o exame.

— Está muito demorado. Tem pouca gente atendendo. Eu só estou com suspeita, mas estou bem. Teve gente bem pior —  comentou ela.

No Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul, o cenário era similar. Por volta das 14h, cerca de 20 pessoas aguardavam do lado de fora da estrutura montada para atender pessoas com suspeita de covid-19. Em alguns dos locais consultados, a reportagem conversou com funcionários informalmente. Todos confirmaram que a demanda aumentou nos últimos dias

Sobre as aglomerações e a demora para realização dos exames, o Coordenador-Geral de Urugências da Secretaria Municipal de Saúde, Diego Fraga, afirmou que o grande público deve procurar unidades básicas de saúde localizadas nos bairros. Conforme ele, pessoas com sintomas leves devem evitar as emergências, deixando os locais para pessoas que apresentam casos mais graves.

— Nosso objetivo, com as tendas, é sempre acelerar esse procedimento para evitar que eles ficassem fora da unidade e recebessem atendimento. Muitos dos casos poderiam ser atendidos nas Unidades Básicas de Saúde de bairro. Ali, ele é atendido mais rapidamente e já sai com uma notificação para realizar o exame em um local próximo — destacou.

Fraga confirmou que houve um grande aumento na procura pelas emergências nos últimos dias que sobrecarregou o atendimento, e relembrou que os locais são preparados para ocorrências de maior risco de vida.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros