Manoel Soares: "A educação é uma ponte entre nossa existência e o futuro" - Notícias

Versão mobile

 
 

Papo Reto06/02/2021 | 05h00Atualizada em 06/02/2021 | 05h00

Manoel Soares: "A educação é uma ponte entre nossa existência e o futuro"

Colunista escreve no Diário Gaúcho aos sábados

Manoel Soares: "A educação é uma ponte entre nossa existência e o futuro" Lauro Alves/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

Eu sou apaixonado pelo hábito de estudar, não somente aquele estudo que tínhamos na escola. Confesso que sempre resisti àquele formato. A forma como me ensinaram a estudar na sala de aula tinha uma pegada de obrigação e gerava frustração. Hoje, me dedico a uma forma pessoal de estudo. Leio as coisas que quero e mergulho em temas que despertam meu interesse. 

Acredito que a educação é uma ponte entre nossa existência e o futuro. É a maneira de dividir o que temos e viver para sempre, mas acho que essa educação formal que temos aí está longe de ser o bote de salvação da humanidade. Por mais contraditório que seja essa minha afirmação, ela tem base na realidade meus amigos. Para entender, basta olharmos quem esteve no volante das principais tragédias desse mundo. O nazismo era capitaneado por pessoas formadas, a escravidão foi financiada e orquestrada por pessoas letradas. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Quem pensa que um canudo é símbolo de inteligência ou de consciência pode se surpreender ao visitar a historia. Às vezes, parece que o poder aparentemente ilimitado liberta um “demônio” no coração dos homens e, a partir dessa libertação, a vida perde seu valor. 

Bobagens

Esse exemplo se repete hoje, quando vejo pessoas com seus canudos e diplomas incentivando pessoas mais pobres a não tomar vacina contra a covid-19, ou recomendando que ignorem os cuidados e recomendações de prevenção. Na maioria das vezes, quem fala essa bobagens são pessoas que, se ficarem doentes, em hipótese nenhuma vai faltar um respirador ou outro tratamento que garanta a eles a sobrevivência. 

Leia outras colunas de Manoel Soares

A máquina de moer pobre tem como combustível, na maioria das vezes, a inteligência educada de pessoas que frequentaram boas escolas. Óbvio que não podemos generalizar, mas um dos paradigmas desses novos tempos é repensar essa educação, entender se ter um canudo é sinal de inteligência de fato, ou só um pedaço de papel que nem sempre traduz a humanidade que precisamos. No fim das contas, amigos, acredito que a escola pode me dar estudo, mas educação, mesmo, vem de casa. Pois a escola me ensina a ler e escrever mas, com nossa família, aprendemos o que fazer com a leitura e escrita.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros