Com pai na UTI, jovem vai todos os dias a hospitais presentear profissionais da saúde com doces e cartas de agradecimento - Notícias

Versão mobile

 
 

Em Porto Alegre10/03/2021 | 14h00

Com pai na UTI, jovem vai todos os dias a hospitais presentear profissionais da saúde com doces e cartas de agradecimento

Rede de doações se formou há 10 dias e já tem em torno de 50 voluntários

Com pai na UTI, jovem vai todos os dias a hospitais presentear profissionais da saúde com doces e cartas de agradecimento Tiago Boff / Agencia RBS/Agencia RBS
Camila Fernandes Salomé monta kits em casa e os leva até os ¿verdadeiros heróis da pandemia¿ Foto: Tiago Boff / Agencia RBS / Agencia RBS

Camila Fernandes Salomé, 27 anos, conversou com o pai pela última vez há quase duas semanas. O arquiteto Sérgio Gonzaga Nascimento Salomé, 63, foi internado na Santa Casa, em Porto Alegre, no final de fevereiro, por complicações da covid-19. Contraiu uma bactéria, acabou entubado e levado à UTI com 70% dos pulmões comprometidos. Nesse dia, Camila conheceu parte do hospital. Ficou impressionada com o que viu: poltronas ocupadas por quem aguarda um leito, salas adaptadas e repletas de pacientes com respiradores.

– Quem olha de fora não entende, acha que está tudo sob controle. Mas é lá dentro que a situação complica, com muita gente precisando de atendimento – complementa.

A massoterapeuta teve contato com profissionais da saúde que, mesmo esgotados, seguem salvando vidas. E decidiu dedicar sua rotina a agradecê-los pelo esforço, seja no caso de sua família, ou na luta em favor de pessoas com as quais ela nunca conversou.

Camila monta os kits em casa, no bairro Menino Deus, e os leva até os “verdadeiros heróis da pandemia”, como ela mesma define.

– Quando chego na recepção, explico que meu pai está internado em outro hospital, mas que quero dar um presente para os profissionais da UTI Covid. Ali, já recebo um sorriso. Eles amam, afirmam que deixa o plantão mais leve – afirma a jovem.

Os mimos são caixas de wafer, bombons, cupcakes, brownies, entre outros doces. Em 10 dias, foram entregues à UTIS de 12 hospitais, chegando a um número não contabilizado de trabalhadores.

O bolo de cenoura animou o plantão da fisioterapeuta Daniela Turik de Andrade, 36 anos, profissional da CTI Adulto do Hospital Mãe de Deus.

– Fantástica a iniciativa dela, em adoçar a nossa rotina que anda tão desgastante. Ficamos extremamente agradecidos – elogia.

Para a técnica em enfermagem Aline Lencina, 27 anos, os presentes são demonstrações de nobreza e empatia.

– Empatia, carinho, amor, respeito por todos nós que estamos na linha de frente. São dias muito difíceis. Mesmo não me conhecendo, ela dedica seu tempo, alegra meu plantão - agradece a servidora do Hospital Moinhos de Vento.

No Hospital Restinga Extremo-Sul, a equipe de mais de 10 pessoas uniformizadas se reuniu para uma selfie ao lado da torta entregue de presente. A descrição no post revela um pouco da pressão pela qual os atendentes estão passando: “os olhos inchados de luto e muita emoção. Mas o coração transbordando de gratidão”. Há poucos dias, um dos colegas não mais resistiu e “reescreveu sua vida”, como sutilmente confortou a voluntária.

Após as primeiras entregas, uma rede se formou e, atualmente, cerca de 50 pessoas participam da ação, depositando valores para quela compre os chocolates, entregando os pacotes presencialmente em sua residência ou assando bolos por conta própria. A Comani Doces Artesanais doou duas bandejas com brownies recheados, prontos para serem compartilhados por enfermeiros, médicos e os demais técnicos e especialistas nesta terça-feira (9).

Além das guloseimas, Camila deixa à equipe uma cartinha, escrita à mão. No pedaço de papel, conta a situação do seu pai e promete seguir com a iniciativa pelo menos até o dia de sua alta, data ainda sem previsão. O teor do conteúdo, ela decide momentos antes da entrega.

– Eu soube que um profissional havia cometido suicídio, pela pressão que passava, então escrevi um texto dizendo que estamos orando por eles, que a luta não é fácil, mas que vamos vencer – relembra. 

Na assinatura da carta, ela inclui o endereço de sua conta no Instagram: @camila.fqs. A resposta à surpresa deixada no hospital volta à Camila pelas redes sociais, em postagens de agradecimento que ela compartilha com os seguidores.

– Se uma pessoa levar um mimo até a recepção de um hospital, o meu trabalho já está feito. O intuito principal é esse, incentivar que mais pessoas ajudem, que se inspirem na nossa iniciativa.

Quem quiser participar da ação pode fazer contato pelo Instagram ou pelo e-mail anjosdauti@gmail.com.

Ao se despedir da reportagem de GZH, a mãe de Camila e mulher de Sérgio quis mostrar uma fotografia da família reunida, em uma casa noturna visitada antes da pandemia. Na imagem, Maria José Fernandes Salomé, 60 anos, está junto do marido, de Camila e de seu outro filho, Matheus Gonzaga Fernandes Salomé. O sorriso do esposo, destaque na foto, renova a fé na recuperação.

– Espero que cada dia ele vença. Um dia de cada vez. E assim eu torço para todas as famílias que estão nessa situação: que tenham muita fé - pede a assistente social aposentada.

Ouça a entrevista de Camila Fernandes Salomé à Rádio Gaúcha


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros