Hospital de campanha na Restinga contará com oito leitos de UTI - Notícias

Versão mobile

 
 

Zona Sul12/03/2021 | 11h46Atualizada em 12/03/2021 | 11h46

Hospital de campanha na Restinga contará com oito leitos de UTI

Número é o dobro do que o previsto inicialmente. Comandante da unidade diz que há possibilidade de aumento, mas que isso depende da chegada de respiradores

Hospital de campanha na Restinga contará com oito leitos de UTI Mateus Bruxel / Agencia RBS/Agencia RBS
Estrutura começou a ser montada nesta sexta-feira Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS / Agencia RBS
GZH
GZH

O hospital de campanha que começou a ser a ser erguido na zona sul de Porto Alegre, nesta sexta-feira (12), contará com oito leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ao todo, a estrutura, montada em um pátio do Hospital da Restinga, tem capacidade para 20 pacientes com coronavírus.

O número de leitos de UTI é o dobro do que o previsto anteriormente. De acordo com a comandante do Hospital de Campanha do Exército, coronel Ocilene Vargas Pereira, mais quatro respiradores foram disponibilizados em um esforço para ampliar a oferta inicial.

Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, da Rádio Gaúcha, ela afirmou que há possibilidade de aumento das vagas para tratamento intensivo, mas que isso depende da chegada de novos equipamentos (ouça abaixo)

A instalação do hospital partiu de uma operação conjunta entre prefeitura, governo do Estado e Exército, após um pedido informal feito na terça (9) pelo governador Eduardo Leite ao Comando Militar do Sul e uma solicitação oficial na quarta-feira (10). 

Chegada das estruturas

As estruturas para montagem do hospital de campanha em Porto Alegre chegaram na madrugada desta sexta-feira ao Estado. O material, vindo de Manaus, foi trazido em um avião da Força Aérea Brasileira e desembarcou por volta das 4h30min na base de Canoas.

Pouco depois das 8h, quatro caminhões deixaram o local transportando as estruturas. Os veículos foram escoltados rumo à zona sul da Capital, onde chegaram cerca de uma hora e meia depois.

Além de montar e guardar o hospital, o Exército disponibilizará oito respiradores, 20 camas, 20 monitores, gerador de energia e sistema de ar-condicionado. Já a prefeitura entrará com os profissionais de saúde do Hospital da Restinga, que atenderão a população. 

Ouça a entrevista completa:



 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros