Magali Moraes e as mães imperfeitas - Notícias

Versão mobile

 
 

Coluna da Maga07/05/2021 | 09h00Atualizada em 07/05/2021 | 09h00

Magali Moraes e as mães imperfeitas

Colunista escreve às segundas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes e as mães imperfeitas Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Desde os meus 20 anos de idade, quando comecei a trabalhar em publicidade, todo ano recebo a missão de buscar palavras e imagens que despertem emoção no Dia das Mães. Nos seis anos de DG, eu mesma me dei essa tarefa. É a sexta coluna sobre a data. Mesmo tentando evitar, não consigo. Parece que ainda tem tanta coisa a ser dita. Me identifico com o tema até antes dos meus filhos nascerem. Se a alma feminina já é difícil de explicar, imagina tudo o que passa pela cabeça de nós, mães.

Hoje não quero falar do lado poético da maternidade. Nem da vocação materna ou do amor incondicional. Pelo contrário. Quero lembrar das mães que se perguntam todo santo dia se estão fazendo a coisa certa. As imperfeitas, inseguras, insistentes, mandonas, choronas, carentes e ansiosas. Somos muitas, somos incuráveis. Ensinamos, e não aprendemos. Quando não arrancamos nossos cabelos de furiosas, eles caem sozinhos de tensão. Sinceridade? Ser mãe dá uma trabalheira enorme. 

Leia outras colunas da Maga 

Margarina

Filhos só não crescem mais rápido do que as nossas preocupações com eles. Claro que nos dão tantas alegrias, só que o assunto aqui não é mãe de comercial de margarina (das famílias perfeitinhas). É vida real com erros, acertos e incertezas. Pra cada bebê de bochechas coradas que arranca suspiros por onde passa, tem uma mãe provavelmente exausta, sorrindo orgulhosa, mas louca por um cochilo. Alô, caras-metades: ajudem mais. Sem falar nas mães solo, que criam sozinhas seus filhos. 

Guardei esse último parágrafo pra homenagear quem precisa agora mesmo de um abraço. As mães que têm pesadelos com os filhos, as que se culpam demais (ou se exigem demais), as que trabalham mais do que brincam, as que não sabem ajudar no dever de casa, as que se sentem esquecidas, as que queimam a comida, as que sofrem com o ninho vazio, as que esperam uma reconciliação, as que sentem saudade. Feliz Dia das Mães antecipado! E nunca esqueçam: somos maravilhosas na nossa imperfeição.  


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros