Em dois micro-ônibus e uma van, grupo sai de Sapucaia do Sul para doar sangue no Hemocentro, na Capital - Notícias

Versão mobile

 
 

Ato solidário30/06/2021 | 10h32

Em dois micro-ônibus e uma van, grupo sai de Sapucaia do Sul para doar sangue no Hemocentro, na Capital

Material é encaminhado para pacientes de 42 hospitais do Estado e chega a beneficiar moradores de cem cidades gaúchas

— A gente sabe do momento da pandemia. E sabe também que as pessoas vão menos ainda aos locais de doação. Fazemos isso com amor. Agora é mais importante do que nunca. 

É com um espírito de altruísmo que a empresária Renata Vieira e um grupo animado de moradores da Região Metropolitana movimentou o Hemocentro do Rio Grande do Sul na tarde desta terça-feira (29), em Porto Alegre. Quase 40 pessoas fizeram a viagem entre Sapucaia do Sul e a Capital para realizar doações de Sangue.

A ação foi organizada pela Associação Sapucaiense de Doadores de Sangue para celebrar o Junho Vermelho, mês de conscientização e promoção da doação de sangue em todo o país. A entidade existe há 16 anos e decidiu realizar a contribuição em grupo em razão da pandemia e das constantes dificuldades enfrentadas pelos bancos de sangue.

Leia mais
Campanha realizada em Caxias do Sul estimula o ato contínuo de doação de sangue
Doações de sangue caem 80% no Hemocentro do Estado em três meses
Cidades da Região Metropolitana agendam vacina contra a covid-19; saiba quais e como marcar horário

— Nós sabemos que o Hemocentro distribui o sangue para vários locais do Estado, conforme a necessidade. Geralmente, organizamos grupos de 10 a 15 pessoas para vir. Agora foi um grupo bem maior. Dá uma satisfação saber que estamos ajudando — destacou Renata Vieira, que é a secretária da associação e que organizou o ato.

O ânimo contagiou os participantes no trajeto entre a cidade da Região Metropolitana e a Capital. O grupo se reuniu na Praça General Freitas, no centro de Sapucaia do Sul, às 12h. Dois micro-ônibus e uma van saíram às 13h em direção ao Hemocentro. Além da aventura em grupo, todos tinham consciência da importância do ato.

Para a auxiliar de escritório Gisele Matiolla Vieira, 41 anos, o dia foi ainda mais especial. Foi a primeira vez que ela doou sangue. A pandemia e a vontade de ajudar a fizeram perder o medo da agulha.

— Eu tava com um pouquinho de medo. Mas fiquei olhando as campanhas de doação e desta vez decidi doar. Vou fazer isso mais vezes — celebrou ela.

Para o Hemocentro, a ajuda foi mais do que bem-vinda. Para a coordenadora do setor de captação de doações, Geisiane Almansa, a pandemia e o frio diminuíram bastante o volume de colaboradores. O sangue doado é encaminhado para pacientes de 42 hospitais do Estado.

— O sangue não tem substituto. Precisamos de voluntários para atender a demanda dos hospitais. Isso ajuda pessoas de quase cem cidades do Estado — destacou ela.

Para realizar doações em grupo, o Hemocentro pede que as pessoas agendem visitas por meio do número de WhatsApp: (51) 98405-4260.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros