Cris Silva: "Desenvolvimento da fala" - Notícias

Versão mobile

 
 

Lá em Casa09/07/2021 | 09h00Atualizada em 09/07/2021 | 09h00

Cris Silva: "Desenvolvimento da fala"

Colunista escreve sobre maternidade e família todas as sextas-feiras

Cris Silva: "Desenvolvimento da fala" Agência RBS/Agência RBS
Cris Silva Foto: Agência RBS / Agência RBS

Hoje o assunto é um pedido de uma mãe. Luciana Naives mandou, pela minha rede social, um texto dizendo que suspeitava do atraso da fala da sua filha Liane, dois anos. “Espero que algum dia tu abordes esse tema na coluna para orientar e informar as famílias”, disse ela. Fui atrás do assunto e, realmente, é incrível como pequenas e simples atitudes podem ser determinantes. A participação da família é fundamental para ajudar a criança a desenvolver sua fala. 

Leia outras colunas da Cris Silva

Palavra da especialista

A fonoaudióloga Magali Oliveira, que atua diretamente com crianças, esclarece alguns pontos importantes sobre o assunto. O que é esperado para cada idade?

1 ano /// Espera-se que a criança fale as primeiras palavras. A princípio palavras isoladas como mamãe, papai, mamá, além de já emitir onomatopeias (au-au, miau, bibi). Com um ano e meio, ela começa a combinar duas palavras, como “da mamá”. 

2 anos /// Aparecem as primeiras frases de duas ou três palavras, como “eu que papá”. Por volta de dois anos e meio, frases de três e quatro palavras.

3 anos /// Espera-se que a criança seja capaz de repetir trechos de histórias e produzir frases de quatro a cinco palavras. Já inicia uma conversação e canta músicas infantis.

4 anos /// A criança já elabora frases de cinco ou seis palavras e consegue narrar fatos e histórias.

5 anos /// A criança usa os tempos verbais, pede informações e utiliza orações em períodos simples e composto.

6 anos /// É esperado que a criança já articule todos os sons da fala, utilize frases gramaticalmente corretas e narre fatos e histórias com desenvoltura.

Quando devo me preocupar?

Sabemos que cada criança é única e tem seu próprio ritmo de desenvolvimento. No entanto, em alguns casos, como atrasos e dificuldades, é necessário que a família procure um profissional para orientar e acompanhar o pequeno. Segundo a fonoaudióloga Magali Oliveira, “a família deve se preocupar quando percebe uma diferença muito grande entre a fala do seu filho se comparada às crianças da mesma idade”. Por isso, é importante que os pais observem com atenção e interesse o desenvolvimento da linguagem do seu pequeno. 

– Caso a criança esteja com três anos, por exemplo, falando com muitas trocas ou uma fala difícil de entender, a família deve procurar orientação de um profissional – afirma.

Mother playfully swinging her little daughter in the airMãe brincando balançando sua filha no ar enquanto se divertem juntos em casaFonte: 295880665<!-- NICAID(14316715) -->
Foto: mavoimages / stock.adobe.com

Vamos estimular

A família tem um papel fundamental no desenvolvimento da linguagem. É importante estimular, desde cedo, a fala da criança. Confira algumas dicas que podem ajudar a estimular:

/// Converse sempre com seu pequeno, pronunciando as palavras da forma correta;

/// Brinque com a criança, imitando sons de animais, contando histoórias e cantando músicas; 

/// Nomeie objetos e ações, isso amplia o vocabulário da criança;

/// Ouça com atenção aquilo que a criança tem a lhe dizer.

Pérola

A noite, antes de dormir, Luana falou ao pai:
– Eu te amo, pai.
– Que lindo, Luana! Mas o que é amor pra você?
– Ah, pai. É aquilo que eu sinto quando você lava a louça pra mamãe.

Luana, seis anos


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros