Menina de sete anos distribui ração a cães de rua e sonha em ter cafeteria com animais para adoção - Notícias

Versão mobile

 
 

Santa Cruz do Sul08/07/2021 | 09h33Atualizada em 08/07/2021 | 09h33

Menina de sete anos distribui ração a cães de rua e sonha em ter cafeteria com animais para adoção

Em casa, a família possui quatro bichinhos, todos adotados: os gatos Missy e Johnny, e os cães Bóris e Jacke

Menina de sete anos distribui ração a cães de rua e sonha em ter cafeteria com animais para adoção Átila Stertz / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Aluna do 1º ano do Ensino Fundamental, a pequena voluntária defende o acolhimento de pets abandonados Foto: Átila Stertz / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Quando circula de carro com os pais, Lívia Zimmer Stertz, sete anos, estica o olhar na altura da calçada. A menina procura por cães e gatos que vivam nas ruas de sua cidade, Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo. No banco do automóvel, estão sacos plásticos com porções de ração. Logo que avista um bichinho, ela pede para estacionar e deixa o pacote no chão.

— Eu tenho pena, porque eles não têm o que comer. Todo mundo devia fazer isso, deixar um potinho com ração e água, e também fazer uma toca para eles dormirem — complementa a garota. Cada saquinho é organizado com cerca de 250 gramas de ração.

A ideia da entrega dos alimentos surgiu na pandemia, em um passeio. Mãe e filha procuravam um local mais afastado do movimentado centro do município, para uma caminhada ao ar livre. Lívia notou que, na periferia, havia mais animais soltos do que próximo de sua residência, e sugeriu que regressassem com as porções. 

Juliane Zimmer, 38 anos, define a filha como “bem decidida”. Acredita, contudo, que ações já realizadas pela família inspiraram o voluntariado.

SANTA CRUZ DO SUL, RS - Menina de 7 anos distribui ração a cães de rua e sonha em ter cafeteria com animais para adoção.<!-- NICAID(14827830) -->
Cada saquinho é organizado com cerca de 250 gramas de raçãoFoto: Átila Stertz / Arquivo Pessoal

— Desde pequena, ela me acompanha na entrega de ração para as entidades de proteção, vê que fazemos rifas para ajudar, tudo pela causa animal — relembra a comerciante. 

A história de Lívia foi contada pelo portal Gaz, da região dos vales, e teve repercussão nacional. Postagens contando a iniciativa tiveram milhares de compartilhamentos nas redes sociais. 

Aluna do 1º ano do Ensino Fundamental, a pequena voluntária defende o acolhimento de pets abandonados. Tem, em casa, quatro bichinhos, todos adotados: os gatos Missy e Johnny, e os cães Bóris e Jacke. E pensa em transformar o trabalho em uma profissão futura.

—Eu quero abrir uma cafeteria, o nome vai ser “café e gato”. As pessoas vão ver os gatos e podem adotar eles. Ah, vai ter cachorro também — acrescenta a futura empresária.

Ouça o relato de Lívia e da mãe, ao programa Gaúcha Hoje


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros