Após furto de fiação, duas escolas estaduais de Canoas estão há quase um mês sem aulas presenciais - Notícias

Versão mobile

 
 

Educação31/08/2021 | 11h44Atualizada em 31/08/2021 | 11h45

Após furto de fiação, duas escolas estaduais de Canoas estão há quase um mês sem aulas presenciais

Furtos ocorreram entre o fim de julho e o começo de agosto; previsão é de retorno nos próximos dias

Após furto de fiação, duas escolas estaduais de Canoas estão há quase um mês sem aulas presenciais Cleber Sganzerla / Divulgação/Divulgação
Escola Margot Giacomazzi foi furtada duas vezes em pouco mais de 30 dias Foto: Cleber Sganzerla / Divulgação / Divulgação
GZH
GZH

Duas escolas em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, estão há quase um mês sem aulas presenciais após furtos de fiação elétrica. Os casos, ocorridos entre o fim de julho e o começo de agosto, deixaram as escolas sem energia elétrica.

Uma das instituições, a Escola Estadual Margot Giacomazzi, no bairro Jardim Atlântico, passou por dois furtos: no primeiro, em 26 de julho, criminosos levaram fios de cobre. Segundo o diretor da escola, Cleber Sganzerla, os ladrões escavaram áreas da escola para furtar a fiação subterrânea. 

No segundo caso, em 16 de agosto, a falta de energia elétrica e de alarmes facilitou o acesso a áreas internas do colégio, com furto de equipamentos e fiação interna. As aulas estão suspensas desde 4 de agosto, data em que alunos voltariam do recesso de inverno.

— Caminhei pelo pátio da escola e ver aquilo vazio é desolador — diz o diretor.

Em maio, quando foram retomadas as aulas presenciais, houve baixa participação entre os 1.020 alunos da escola de Ensino Médio, que funciona em três turnos. Segundo levantamento da própria instituição, cerca de 30% dos estudantes não têm acesso a internet ou apresentam grande dificuldade de conexão.

Reparos foram feitos durante o fim de semana e a higienização da escola deve terminar nesta terça-feira (31). Após solicitação à Secretaria Estadual da Educação, uma verba de cerca de R$ 17 mil foi disponibilizada na semana passada para os reparos do primeiro furto, segundo a 27ª Coordenadoria Regional da Educação (CRE). Contudo, os estragos internos, que serão consertados durante as aulas presenciais, demandarão um novo orçamento. A diretoria espera retomar as atividades na quarta-feira (1º).

No caso da Escola Estadual Erico Veríssimo, localizada no bairro Igara, o furto da fiação externa se deu na madrugada do dia 9 de agosto. Segundo a diretora Valquíria Tavares, foi a primeira vez que um crime do tipo ocorreu na escola, que conta com 528 alunos, distribuídos entre ensinos Fundamental e Médio.

— Foram ousados. A escola fica em frente a uma concessionária de energia. Tem sempre um vigia durante a noite — comenta a diretora.

No caso da Erico Veríssimo, os reparos exigiram um orçamento de cerca de R$ 23 mil, também já disponibilizados desde a última semana. Contudo, o material necessário para os consertos só deve chegar nos próximos dias. Os reparos devem ser concluídos em dois dias e a projeção é de retomada das aulas presenciais na próxima semana.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros