Magali Moraes: coração quentinho - Notícias

Versão mobile

 
 

Coluna da Maga02/08/2021 | 09h11Atualizada em 02/08/2021 | 09h11

Magali Moraes: coração quentinho

Colunista escreve às segundas e sextas-feiras no Diário Gaúcho

Magali Moraes: coração quentinho Fernando Gomes/Agencia RBS
Magali Moraes Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Tricoteiras e crocheteiras, essa coluna é dedicada a vocês. Quero iniciar a semana (e o mês de agosto) falando de todo o amor envolvido nessa arte de tramar fios de lã ou linha. Da dedicação e perfeccionismo pra tecer ponto a ponto. Da paciência pra desenredar os novelos. Da ciência pra unir os fios. Cresci cercada de mulheres que valorizavam muito os trabalhos manuais, eu mesma já fui tricoteira na adolescência: criava meus blusões de lã com as amigas. E aprendia com a mãe e a vó. 

Lembro da vontade de brincar com as tantas agulhas de tricô que havia na minha casa quando eu era criança. Até hoje sinto um fascínio ao entrar em uma loja de lãs. Quero levar tudo, apesar de não tricotar há séculos. Um dia, quem sabe. Com quantos novelos se faz uma tarde leve e produtiva? Com quantas combinações de cores se alegra um guarda-roupa? Minha mãe vivia às voltas com as revistas que mostravam novos pontos de tricô. Hoje são os vídeos no Youtube que a acompanham.

Leia outras colunas da Maga

Inventar

Não é só passatempo, é desafio cerebral. As tricoteiras e crocheteiras gostam de inventar moda. São criativas, querem aprender e ensinar. Também querem fazer o bem. Seja presenteando muitos bebês com roupinhas fofas, seja aquecendo os pés gelados dos filhos e netos com meias quentinhas. Minha mãe produz inúmeros casaquinhos, calças, toucas, sapatos e luvas pra doar a quem precisa. Esses dias me deu mais uma sacola cheia pra ajudar na campanha do agasalho aqui de Porto Alegre. 

Automaticamente guardei a sacola até a próxima saída de casa. Depois fui espiar o conjunto da sua produção. Perfeição é a palavra certa. Cada roupinha foi feita como se fosse pra alguém que ela conhece, de tanto carinho e cuidado. Tricotar é paixão e compaixão. É ficar feliz só de imaginar uma criança protegida e aquecida nesse inverno tão gelado. Já a musa do crochê é minha vizinha da praia, a Bella, sempre às voltas com suas criações. Mulheres que esbanjam talento e me inspiram demais.


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros