Câmara de Vereadores aprova projeto que desobriga empresas a manter cobradores nos ônibus - Notícias

Versão mobile

 
 

21 votos a 1202/09/2021 | 09h19Atualizada em 02/09/2021 | 09h41

Câmara de Vereadores aprova projeto que desobriga empresas a manter cobradores nos ônibus

Proposta, que cria o programa de extinção gradual da função, precisava de maioria simples para ser aprovada

Câmara de Vereadores aprova projeto que desobriga empresas a manter cobradores nos ônibus Marco Favero / Agencia RBS/Agencia RBS
Sessão terminou pouco depois das 23h30min Foto: Marco Favero / Agencia RBS / Agencia RBS

Por 21 votos favoráveis e 12 contrários, a Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou, na noite desta quarta-feira (1°), o projeto de lei da prefeitura da Capital que desobriga as empresas do sistema de transporte público de manter cobradores. A proposta, que cria o programa de extinção gradual da função, precisava de maioria simples para ser aprovada. 

Para surpresa dos vereadores da oposição, dos rodoviários e de alguns integrantes do governo, o projeto de lei do Executivo estava na ordem do dia, mas não contava com priorização. No começo da tarde, a base governista solicitou preferência para o texto. Guardas municipais e rodoviários se envolveram em um tumulto, quando os trabalhadores tentavam ingressar no plenário. Com os ânimos acalmados, os rodoviários acompanhavam a discussão das oito emendas ao projeto original.

Entre as emendas, foi aprovada uma que prevê um Plano de Demissão Voluntária (PDV), de autoria da vereadora Cláudia Araújo (PSD).

— Estamos atentos aos retrocessos e descaso que nos leva ao fracasso, que não reconhecem a necessidade de um debate ampliado. Mobilidade urbana é desenvolvimento para a cidade e essa elite do atraso não quer a discussão sobre o tema — disse a vereadora Daiana dos Santos (PCdoB). 

O líder da oposição na Casa, vereador Pedro Ruas (PSOL), chegou a protocolar um requerimento solicitando que a matéria fosse discutida em duas sessões plenárias, mas foi derrotado.

O projeto prevê a retirada gradual dos profissionais da cobrança das 22h às 4h, avançando para as linhas de menor trajeto. Até a extinção completa da função, que seria em 1º de janeiro de 2026, a prefeitura implementaria cursos de qualificação e faria realocações. 

— Eles serão preparados e qualificados para atuar como motoristas, mecânicos, funções administrativas. Não haverá a demissão em massa amanhã, isso não é verdadeiro — afirmou o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Luiz Fernando Záchia. 

Os profissionais que se aposentarem até o final do período de transição não serão repostos. A tendência é de que mil cobradores se aposentem até, segundo projeções da pasta da Mobilidade. Com essa medida, a economia deverá ser de R$ 0,74 sobre a passagem ao final dos quatro anos de implementação completa da proposta. 

Os rodoviários não descartam a judicialização da matéria, segundo o vice-presidente do sindicato da categoria, Alessandro Ávila: 

— Juridicamente temos um acordo que afirma a permanência dos cobradores até fevereiro de 2022. Além disso, é inconstitucional a dupla função do motorista ao atuar como condutor e cobrador. É um estresse e responsabilidade enorme, ele leva quase 600 passageiros por dia em um ônibus articulado, por exemplo. 

Pacote 

Os demais projetos que compõem o pacote do Executivo para o transporte público de Porto Alegre ainda abarcam outras propostas com a privatização da Carris e a redução das isenções, além do projeto de lei que prevê a restrição do passe estudantil nos coletivos aos estudantes de baixa renda. 

Em razão da medida que prevê desestatizar a companhia estatal, trabalhadores devem iniciar uma greve nesta quinta-feira.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros