Chuva forte provoca queda de árvores e deixa semáforos fora de operação em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 
 

Transtornos na capital14/09/2021 | 08h27Atualizada em 14/09/2021 | 08h28

Chuva forte provoca queda de árvores e deixa semáforos fora de operação em Porto Alegre

Há ao menos um ponto com acúmulo de água na Avenida Benjamin Constant, no bairro Floresta 

Chuva forte provoca queda de árvores e deixa semáforos fora de operação em Porto Alegre Lauro Alves / Agencia RBS/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS / Agencia RBS

A chuva forte que atinge Porto Alegre nesta segunda-feira (13) provoca queda de árvores e transtornos no trânsito, com alagamentos e semáforos fora de operação. Durante todo o dia, pancadas fortes localizadas intercalaram-se com períodos de chuva fraca.

Na Avenida Sarandi, próximo à Rua Zeferino Dias, o Arroio Sarandi transbordou devido ao alto volume de chuva. A água carregava sacolas de lixo e materiais depositados irregularmente no leito. Ao longo da tarde, o alagamento provocou bloqueio total do trânsito na região durante mais de duas horas e a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) realizou desvios na região. 

Também no bairro Sarandi, a Avenida Minas Gerais registrou acúmulo de água. Quando veículos passavam, uma onda se formava e a água atingiam até pátios de residências. A Avenida Francisco Silveira Bitencourt, na região do bairro Rubem Berta, registrou alagamento. Motoristas de carros e caminhões aventuraram-se em meio à água, e motociclistas utilizavam a calçada para transitar.

Pela manhã, a EPTC  relatou duas quedas de árvore. Na Rua Cacequi, bairro Passo D'Areia, o bloqueio foi total, e as equipes da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos fizeram o corte. Ninguém se feriu. Já na Rua Santos Neto, no bairro Petrópolis, uma árvore caiu sobre um carro e o condutor necessitou da ajuda dos bombeiros para sair do veículo. Ele não se feriu, e o trânsito está liberado.

Alagamento no bairro Floresta

Além das quedas de árvores, há um ponto com muito acúmulo de água no bairro Floresta. É uma local crônico na esquina da Benjamin Constant com a Buarque de Macedo. Por volta das 11h, apenas a faixa da esquerda no sentido Centro-bairro estava trafegável. Carros tinham que passar com cuidado, e veículos maiores provocavam ondas que atingiam a frente das lojas.

Abud Kadri, 60 anos, dono de uma fruteira, conta que há anos é assim. Sempre que chove, o local alaga.

— Eu já fiz projeto, levei na prefeitura, para os vereadores, nem deram bola.

O comerciante Renan Rocha, 36 anos, conta ter ligado várias vezes para o 156, da prefeitura.

— Hoje chegou a atingir o degrau da minha loja. Semana passada tapou toda a rua. É sempre assim quando chove.

Segundo o Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae), a rede estava obstruída e seria realizada intervenção com hidrojato à tarde.

Pela tarde, havia casos de acúmulo de água na esquina das ruas Cristóvão Colombo e Buarque de Macedo e na Avenida Sarandi com a Zeferino Dias. 

Equipes da EPTC também estão nas ruas trabalhando para resolver os semáforos não funcionando. Pela manhã, eram pelo menos oito pontos com problemas. À tarde, somente havia registro de sinaleira fora de operação na Av. Dom Pedro II. 

Acidentes em rodovias

Nas rodovias, a manhã foi marcada por dois acidentes. Na RS-240, em Portão, por volta das 10h15min, dois caminhões colidiram no km 3. Uma pessoa ficou ferida. A lentidão no trecho prosseguia à tarde.

Já na RS-287, em Santa Cruz do Sul, um caminhão, uma van é uma L-200 bateram no km 96 por volta das 10h45min. Três pessoas chegaram a ficar presas às ferragens e foram socorridas ao hospital.

Na RS-240, em Portão, por volta das 10h15, dois caminhões colidiram no km 3. Uma pessoa ficou ferida e veículos seguem tombados no local. Há lentidão.<!-- NICAID(14888093) -->
Acidente em Portão, ocorrido por volta das 10h15minFoto: Divulgação / CRBM


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros