Estudante gaúcho conquista medalha de ouro em olímpiada internacional de matemática - Notícias

Versão mobile

 
 

Competição asiática07/09/2021 | 09h03Atualizada em 07/09/2021 | 09h04

Estudante gaúcho conquista medalha de ouro em olímpiada internacional de matemática

Aos 17 anos, Eduardo Bortolomiol Passos foi um dos 10 brasileiros escolhidos para participar da World Mathematics Invitational (WMI) 2021

Estudante gaúcho conquista medalha de ouro em olímpiada internacional de matemática Félix Zucco / Agencia RBS/Agencia RBS
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS / Agencia RBS
GZH
GZH

Em 19 de julho deste ano, uma segunda-feira, Eduardo Bortolomiol Passos acordou por volta das 7h15min, tomou uma xícara de café e começou a se preparar para resolver questões de matemática focadas na parte lógica, diferentes daquelas normalmente aplicadas durante o Ensino Médio regular. Entre os problemas resolvidos, ele recorda, estava um que cobrava propriedades trigonométricas, em que precisava saber a representação gráfica de um seno e de um cosseno.  

A prova online, realizada entre 8h e 11h, representava a fase final da World Mathematics Invitational (WMI) 2021 e concedeu ao estudante de 17 anos uma medalha de ouro e a segunda colocação mundial em seu nível na competição. Primeira olímpiada internacional de matemática fundada por Taiwan e organizada pela Rede do Programa de Olimpíadas de Conhecimento (POC) no Brasil, a WMI tem como objetivo estimular o interesse pela área e reúne alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio de diversos países.  

Natural de Porto Alegre e aluno do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Farroupilha, Eduardo foi um dos 10 brasileiros escolhidos — o único gaúcho —  para participar da competição asiática. Convidado pela escola para integrar a delegação virtual do Brasil, ele conta que está muito feliz com o resultado e que, apesar de já ter ganhado prêmios em outras competições, a medalha de ouro foi o mais alto reconhecimento que já conquistou em uma disputa internacional: 

— Confesso que achei que não conseguiria uma colocação muito boa. Imaginava que, com sorte, poderia conseguir um bronze. Quando soube que havia conquistado o ouro e o segundo lugar na categoria, acho que fiquei em choque.  

Professora e assessora pedagógica da área de matemática do Colégio Farroupilha, Alessandra Dornelles foi a responsável pela escolha do jovem como representante da instituição na olímpiada. Ela destaca que Eduardo é muito participativo, dedicado e engajado na construção de um currículo individual e também em ajudar os colegas tanto em sala de aula quanto no laboratório de matemática, como monitor. 

— Entre tantos estudantes incríveis que a gente tem, eu vi nele uma oportunidade imensa de ter um desempenho bem legal. Convidei e ele ficou superfeliz — relata — O Eduardo ter conseguido essa conquista é incrível, pois ele competiu com gente do mundo todo — complementa.  

De acordo com os resultados divulgados no site da WMI, os outros estudantes brasileiros que participaram da competição conquistaram duas medalhas de bronze e sete prêmios de mérito.  

Preferência pela matemática 

Até o 5º ano do Ensino Fundamental, Eduardo não tinha uma matéria preferida. Mas, quando as disciplinas se separaram no ano seguinte e ele passou a ter uma professora para cada área, a situação mudou: 

— Comecei a notar que a aula que eu mais gostava era a de matemática. Também notei que, enquanto meus colegas tinham dificuldade em algumas questões, eu as achava fáceis. 

No 8º ano, o estudante participou da sua primeira competição, a Olimpíada Internacional de Matemática Sem Fronteiras (OIMSF), e não parou mais. Inclusive, já fez provas de outras áreas, como Biologia, Física e Astronomia. Ele conta que se inscreve em todas as olímpiadas que o Colégio Farroupilha divulga principalmente pela diversão. 

Em relação aos motivos para gostar da matéria, Eduardo explica que a matemática estimula sua lógica e sua curiosidade. Destaca também que, por meio dela, encontrou uma forma de ajudar outras pessoas ensinando o que sabe. 

— Gosto porque me desafia. Adoro quando recebo algum cálculo que tenho que pensar fora da caixa para resolver — finaliza. 

Produção: Jhully Costa

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros