Museu do Trem de São Leopoldo completa 45 anos de inauguração - Notícias

Versão mobile

 
 

História19/11/2021 | 05h00Atualizada em 24/11/2021 | 09h14

Museu do Trem de São Leopoldo completa 45 anos de inauguração

Espaço tradicional de São Leopoldo, junto à estação do trensurb, terá programação cultural para celebrar aniversário. 

Museu do Trem de São Leopoldo completa 45 anos de inauguração Marco Favero / Agencia RBS/Agencia RBS
No local, que fica próximo à Estação São Leopoldo da Trensurb, é possível conferir mais de 1,8 mil peças e objetos Foto: Marco Favero / Agencia RBS / Agencia RBS

O tradicional Museu do Trem de São Leopoldo comemora 45 anos de inauguração neste mês. Não há como falar do desenvolvimento do município da Região Metropolitana sem citar o museu ferroviário. No local, que fica próximo à Estação São Leopoldo da Trensurb, é possível conferir mais de 1,8 mil peças e objetos ligados ao mundo das locomotivas e carros de passageiros, além de acervo bibliográfico e documentos. 

É um patrimônio que se acumulava em almoxarifados e pátios desde que o governo brasileiro decidiu investir no reaparelhamento do sistema ferroviário, substituindo as antigas máquinas a vapor pelas de tração diesel-elétricas, mais modernas e potentes. 

Leia mais:
Pesquisadores do Museu Nacional anunciam descoberta de dinossauro muito raro
UTI Covid do Hospital Centenário, em São Leopoldo, está sem pacientes pela primeira vez
Casa do Imigrante é furtada pela quarta vez em quatro meses em São Leopoldo

O local foi inaugurado em 26 de novembro de 1976 e é fruto de uma parceria entre o Museu Histórico Visconde de São Leopoldo (MHVSL), prefeitura municipal e a Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA). A primeira reforma ocorreu 11 anos depois da abertura. Mas foi no final da década de 1990 que ocorreu um divisor de águas na vida do Museu. O Plano Nacional de Desestatização e a liquidação da RFFSA desencadearam grandes dificuldades, sendo extinta boa parte do acervo. No entanto, com ajuda da comunidade e de historiadores da região, juntamente com ferroviários remanescentes, foi possível reerguer o patrimônio local.  

Símbolo da cidade

Em 2005, o museu passou a ser gerido pela Secretaria Municipal de Cultura, fundada no mesmo ano. Os cargos públicos para historiador e arquivista foram criados somente em 2011 — passo importante na garantia de preservação do local. Na visão do secretário municipal da Cultura e Relações Internacionais, Pedro Vasconcellos, o museu é um símbolo cultural, histórico e turístico da cidade: 


— Ele representa um importante período de desenvolvimento do município e também de integração com Porto Alegre e cidades da Serra. 

O local é tido pela comunidade com grande afeto, por oferecer um Sitio Histórico junto à Praça John MacGinity (nome do empresário inglês que comandou a construção da primeira ferrovia no Estado, em 1871), onde as famílias se reúnem, tomam um chimarrão e aproveitam momentos de lazer.  

Reabertura foi em outubro

Segundo a diretora do Museu, Alice Bemvenuti, a prefeitura de São Leopoldo tem investido em busca por soluções, desde a formação de uma equipe qualificada, até a captação de recursos para investir na conservação do acervo e no restauro da Estação. Quando questionada sobre os desafios, a diretora afirma:  

—  Desafios de manter um museu no Brasil são muitos. Administrar as atividades, oferecendo aos diferentes públicos uma programação tanto nas redes sociais quanto no presencial são alguns desses. 

Além disso, o museu estava fechado desde 2020 —  por conta da pandemia de covid-19 —  e reabriu as portas em outubro deste ano. 

— Nesse período fizemos lives, reuniões, rodas de memória, entre outras atividades, com outros museus ferroviários brasileiros, da América latina e até da Europa — conta a diretora.

Confira a programação :

Para a celebração de seu 45° aniversário, o Museu prepara uma semana com eventos e atividades ao público. Confira a programação: 

/// 22/11, às 19h —  Sessão solene na Câmara Municipal de Vereadores (Avenida Independência, 66, Centro);
/// 24/11, às 18h —  Roda de memória, um bate-papo sobre o Museu. O evento será semipresencial, com live nas redes sociais da instituição;
/// 25/11 às 18h — Abertura de exposições de Lurdi Blautch e Rogério Severo; Intervenção Branco com Daggi Dorneles e exposição de Cândido Silveira, organizada junto ao Departamento de Promoção de Igualdade Racial;
/// 26/11, às 18h — Lançamento do documentário de 45 anos do Museu do Trem, com a direção de Luís Vieira;
/// 27/11, às 10h — Ato solene de aniversário de 45 anos, com bancas da Economia Solidária; 14h: Bazar Divino Maravilhoso; 15h: Caminhada do trem, com percurso pelo Centro Histórico e pela Rota Romântica; também haverá exposições de carros antigos, oficinas de arte para as famílias e intervenções artísticas;


Visite o museu :

/// Rua Lindolfo Collor, 40, Centro, São Leopoldo, junto à Estação São Leopoldo da Trensurb.
/// Aberto ao público de terças a sextas-feiras, das 9h às 17h, e aos sábados, das 10h às 17h.
/// A entrada é gratuita. É obrigatório respeitar os protocolos sanitários contra a covid-19. 

Para mais informações, entre em contato pelo email museudotrem@gmail.com ou pelo telefone (51) 2200-0520.  Você também pode acompanhar o Museu do Trem nas redes sociais: @museudotremsl, no Instagram; e /MuseudoTremOficial, no Facebook.

Produção: Leonardo Bender


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros