Prefeito de Cidreira renuncia ao cargo após suspeitas de irregularidades - Notícias

Versão mobile

 
 

Litoral norte25/11/2021 | 09h47Atualizada em 25/11/2021 | 09h49

Prefeito de Cidreira renuncia ao cargo após suspeitas de irregularidades

Relatórios que poderiam levar à cassação de Alex Contini seriam votados nesta semana

Prefeito de Cidreira renuncia ao cargo após suspeitas de irregularidades Marco Favero / Agencia RBS/Agencia RBS
Foto: Marco Favero / Agencia RBS / Agencia RBS

O prefeito de Cidreira, Alexsandro Contini de Oliveira (PP), apresentou pedido de renúncia ao cargo na tarde desta quarta-feira (24) na Câmara de Vereadores do município no Litoral Norte. Como justificativa, Contini alegou motivos de ordem pessoal e perseguição política.

No entanto, Contini é investigado em comissões parlamentares processantes na Casa por suspeitas de irregularidades na compra de materiais de construção e veículos, entre outros.

O cargo do prefeito deveria ser cassado em votação de relatório das comissões nesta quinta (25) e sexta-feira (26). Com a renúncia, o jurídico da Câmara avalia se serão mantidas as votações ou se a orientação pela cassação perdeu o objeto.

Uma das investigações trata de possíveis fraudes no uso de verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), totalizando R$ 2,9 milhões em supostos desvios nas compras de materiais entre 2019 e 2021, gestões de Contini.

— No início do ano, instauramos uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que apontou irregularidades na compra de materiais de construção e reforma pela prefeitura de Cidreira. Na investigação, observamos que verbas do Fundeb foram usadas para comprar os materiais de construção, porém, eles nunca chegaram às escolas, aliás, sequer chegaram a Cidreira — disse o vereador Cláudio Hoffmann (Republicanos).

Em outra denúncia, recebida pelos vereadores em julho deste ano, foram levantadas suspeitas na compra de três caminhões, e as investigações demonstraram que dois deles eram oriundos de leilões de outras prefeituras. Além disso, dois dos veículos eram considerados não mais funcionais.

Segundo a comissão instalada para investigar o caso, uma empresa reformou e vendeu um caminhão para a prefeitura de Cidreira com preço acima da tabela Fipe. De acordo com o vereador Hoffmann, o veículo apresentava constantes problemas.

Contini foi procurado pela reportagem, mas não atendeu às ligações. Conforme a Lei da Ficha Limpa, ele permanecerá oito anos inelegível. O vice-prefeito Elimar Pacheco (PSDB) vai assumir o cargo na tarde desta quinta-feira (25).

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros